Rotary e-Club 4651

O Rotary e-Clube do Distrito 4651

ABC DO ROTARY

Deixe um comentário

ABC

do Rotary

por Cliff Dochterman

Presidente do Rotary International

1992‑93

 

 

PREFÁCIO

 

Estes artigos a respeito do Rotary foram publicados pela primeira vez no boletim semanal do Rotary Club de North Stockton, na Califórnia, EUA. Os artigos foram publicados muito antes que seu autor, Cliff Dochterman, se tornasse Presidente do Rotary International de 1992‑93. Originalmente chamados de “Você Sabia?”, estes artigos foram elaborados para compartilhar com os demais sócios do Rotary Club de North Stockton fatos interessantes e curiosos a respeito do Rotary International. Posteriormente, atendendo a pedidos de outros Rotary Clubs, os artigos foram compilados e publicados em forma de livro. Agora, o Presidente Dochterman acaba de atualizar esta publicação com a finalidade de se manter fiel à ênfase que deseja dar a seu ano como presidente do RI, ou seja, ajudar aos rotarianos a aumentarem seu conhecimento da organização e a respeito de seus costumes e tradições, assim como mantê‑los informados sobre a situação atual dos nossos programas globais. Estes artigos podem ser reproduzidos nos boletins dos Rotary Clubs ou lidos, como fonte de informação rotária, nas reuniões semanais dos clubes.

OBS: O PRESENTE DOCUMENTO DEVERÁ SER COMPLEMENTADO  COM ALGUMAS INOVAÇÕES ACONTECIDAS NOS ÚLTIMOS ANOS, SOBRETUDO AS REFERENTES À QUINTA AVENIDA DE SERVIÇOS, À CLASSIFICAÇÃO DE VETERANOS, À BOLSAS DE ESTUDOS, A INTERCÂMBIO DE GRUPOS DE ESTUDOS, A SUBSÍDIOS ETC.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Índice

 

   
DEFINIÇÃO DO ROTARY ……………………………………………………………………….. 5
A BANDEIRA OFICIAL DO ROTARY ………………………………………………………… 5
A RODA ROTÁRIA …………………………………………………………………………………. 5
A SECRETARIA ……………………………………………………………………………………… 6
ALGUNS DADOS PIONEIROS DO MUNDO ROTÁRIO……………………………….. 6
O OBJETIVO DO ROTARY………………………………………………………………………. 6
OS LEMAS DO ROTARY ………………………………………………………………………… 7
COMPARECIMENTO PERFEITO …………………………………………………………….. 7
A PROVA QUÁDRUPLA …………………………………………………………………………. 8
PAUL HARRIS: FOI OU NÃO FOI O PRIMEIRO? ………………………………………. 8
NOMES PRÓPRIOS OU APELIDOS ………………………………………………………… 9
AS QUATRO AVENIDAS DE SERVIÇO ……………………………………………………. 9
THE ROTARIAN E REVISTAS REGIONAIS ………………………………………………. 10
A RESPONSABILIDADE INTERNACIONAL DE UM ROTARIANO ……………….. 10
ESTATUTOS PRESCRITOS PARA O CLUBE …………………………………………… 11
O PATROCÍNIO DE UM NOVO SÓCIO …………………………………………………….. 11
AS MULHERES NO ROTARY ………………………………………………………………….. 12
A SEDE MUNDIAL DO RI…………………………………………………………………………. 12
MAIS DADOS PIONEIROS………………………………………………………………………. 13
SALA 711‑LOCAL DE NASCIMENTO DO ROTARY …………………………………… 13
MÊS DA COMPREENSÃO MUNDIAL ………………………………………………………. 14
PRÊMIO ROTARY PARA A PAZ E A COMPREENSÃO MUNDIAL……………….. 14
O PRINCÍPIO DA CLASSIFICAÇÃO………………………………………………………….. 15
TROCA DE FLÂMULAS…………………………………………………………………………… 15
REGRAS DE NÃO COMPARECIMENTO…………………………………………………… 16
COMPARTILHANDO O ROTARY COM NOVOS SÓCIOS…………………………… 16
TOLERÂNCIA DAS DIFERENÇAS……………………………………………………………. 17
RECUPERAÇÃO DE FREQÜÊNCIA ORIGINAL…………………………………………. 17
SERVIÇOS PROFISSIONAIS…………………………………………………………………… 18
CASAS DA AMIZADE ……………………………………………………………………………… 18
LIÇÕES DE GEOGRAFIA ROTÁRIA ………………………………………………………… 19
INVOCAÇÕES RELIGIOSAS NAS REUNIÕES DO CLUBE………………………….. 19
OFFICIAL DIRECTORY……………………………………………………………………………. 20
OPORTUNIDADES PARA O COMPANHEIRISMO……………………………………… 20
CANTO NO CLUBE ……………………………………………………………………………….. 21
SÓCIO VETERANO ……………………………………………………………………………….. 21
SÓCIO HONORÁRIO ……………………………………………………………………………… 21
ASSOCIAÇÃO COM O ROTARY INTERNATIONAL …………………………………… 22
O GOVERNADOR DE DISTRITO …………………………………………………………….. 22
A ASSEMBLÉIA INTERNACIONAL…………………………………………………………… 23
A ASSEMBLÉIA DISTRITAL ……………………………………………………………………. 23
A CONFERÊNCIA DISTRITAL …………………………………………………………………. 24
SEMINÁRIO DE TREINAMENTO PARA PRESIDENTES ELEITOS ……………… 24

 

 

 

INTERCÂMBIO DE JOVENS…………………………………………………………………….. 24
NENHUM PRIVILÉGIO PESSOAL ……………………………………………………………. 25
“CADA ROTARIANO UM EXEMPLO PARA A JUVENTUDE” ………………………. 25
SERVIÇOS À COMUNIDADE MUNDIAL …………………………………………………… 26
GRUPOS DE MULHERES ASSOCIADOS COM OS ROTARY CLUBS………….. 26
PROGRAMA DE ALFABETIZAÇÃO FUNCIONAL………………………………………. 27
PREOCUPAÇÃO COM OS IDOSOS ………………………………………………………… 28
CONVENÇÕES INTERNACIONAIS ………………………………………………………….. 28
CONFERÊNCIAS REGIONAIS ………………………………………………………………… 28
COMISSÕES INTERPAÍSES……………………………………………………………………. 29
RIBI………………………………………………………………………………………………………… 29
CONSELHO DE LEGISLAÇÃO………………………………………………………………….. 30
GRUPOS PROFISSIONAIS E RECREATIVOS DO ROTARY……………………….. 30
INTERCÂMBIO ROTÁRIO DA AMIZADE……………………………………………………. 31
PRÊMIOS ROTÁRIOS DE LIDERANÇA JUVENIL……………………………………….. 31
NÚCLEOS ROTARY DE DESENVOLVIMENTO COMUNITÁRIO ………………….. 32
VOLUNTÁRIOS DO ROTARY ………………………………………………………………….. 32
INTERACT ……………………………………………………………………………………………… 33
ROTARACT ……………………………………………………………………………………………. 33
NOSSO CARRO ALEGÓRICO NA PARADA DAS ROSAS ………………………….. 33
MAIS DADOS PIONEIROS DO ROTARY …………………………………………………… 34
O SECRETÁRIO GERAL DO RI ……………………………………………………………….. 34
A NOMEAÇÃO DE UM PRESIDENTE ……………………………………………………….. 35
O LEMA ANUAL DO ROTARY …………………………………………………………………. 35
PROIBIÇÃO DE REALIZAÇÃO DE CAMPANHA ………………………………………… 36
O INÍCIO DA FUNDAÇÃO ROTÁRIA …………………………………………………………. 37
O FUNDO PERMANENTE DA FUNDAÇÃO ROTÁRIA…………………………………. 37
BOLSAS EDUCACIONAIS DA BOA VONTADE ………………………………………….. 37
INTERCÂMBIOS DE GRUPOS DE ESTUDOS……………………………………………. 38
SUBSÍDIOS “SAÚDE, FOME E HUMANIDADE” …………………………………………. 38
SUBSÍDIOS EQUIVALENTES ………………………………………………………………….. 39
SUBSÍDIOS “DESCOBERTA” CARL P. MILLER………………………………………….. 39
PÓLIO PLUS          …………………………………………………………………………………………… 40
ASSISTÊNCIA EM CASOS DE DESASTRE ………………………………………………. 40
PROGRAMAS PRÓ‑PAZ …………………………………………………………………………. 41
COMPANHEIROS PAUL HARRIS …………………………………………………………….. 41
“MENÇÃO POR SERVIÇOS MERITÓRIOS” E

“PRÊMIO POR SERVIÇOS EMINENTES” ………………………………………………

 

42

RELAÇÕES PÚBLICAS DO ROTARY ……………………………………………………….. 42
USO DO EMBLEMA ROTÁRIO ………………………………………………………………… 43
AS DATAS ESPECIAIS DO ROTARY………………………………………………………… 43
EXPANDINDO O ROTARY ………………………………………………………………………. 44

 

 

 

 

 

 

 

 

 

DEFINIÇÃO DO ROTARY

 

Como você descreve uma organização como o Rotary? Existem as inúmeras características de um Rotary Club, bem como as atividades de mais de um milhão de rotarianos. Podemos mencionar a prestação de serviços, a internacionalidade, o companheirismo, as classificações de cada uma das profissões úteis, o fomento da boa vontade e da compreensão mundial, a ênfase dos altos padrões de ética profissional, a preocupação para com os outros, assim como tantas outras qualidades.

Em 1976, o Conselho Diretor do Rotary International interessou‑se em criar uma definição concisa dos aspectos fundamentais do Rotary. Solicitou‑se a ajuda de três pessoas, que estavam no momento atuando na Comissão de Relações Públicas do Rotary, e pediu‑se que chegassem a uma definição do Rotary que pudesse ser englobada em apenas uma sentença. Após inúmeras minutas, chegou‑se à seguinte definição, que tem sido usada desde então nas diversas publicações do Rotary:

“Rotary é uma organização de líderes de negócios e profissionais, unidos no mundo inteiro, que prestam serviços humanitários, fomentam um elevado padrão de ética em todas as profissões e ajudam a estabelecer a paz e a boa vontade no mundo.”

Vale à pena decorar esta definição de 40 palavras para recitá‑la quando alguém perguntar: “Mas, o que é um Rotary Club”?

 

 

A BANDEIRA OFICIAL DO ROTARY

 

Uma bandeira foi oficialmente adotada pelo Rotary International em 1929, durante a Convenção de Dallas, no Texas, EUA. A bandeira rotária consiste de um fundo branco, com o emblema oficial, a roda rotária, aposta em dourado no meio do fundo. A roda rotária é dividida em quatro espaços internos, de cor azul real. As palavras “Rotary” e “International” estão impressas acima e embaixo, e o espaço delineado da roda é também dourado. O rasgo de chaveta e o eixo interno são também de cor branca.

A primeira bandeira oficial foi hasteada no mês de janeiro de 1915, na Cidade de Kansas, estado do Missouri, EUA. Em 1922, uma pequena bandeira rotária foi hasteada no Pólo Sul, pelo Almirante Richard Byrd, sócio do Rotary Club de Winchester, na Virgínia, EUA. Quatro anos depois, o Almirante hasteou a bandeira rotária no Pólo Norte.

Alguns Rotary Club utilizam‑se da bandeira rotária como flâmula nas suas reuniões ordinárias. Nestas ocasiões, deve‑se apor as palavras “Rotary Club” acima do símbolo da roda rotária, e o nome da cidade, do estado e do país abaixo da roda.

A bandeira rotária está sempre proeminentemente hasteada na Sede Mundial em Evanston, bem como durante toda a duração de uma convenção e eventos oficiais do Rotary International.

 

 

A RODA ROTÁRIA

 

Uma roda tem sido o símbolo do Rotary desde o seu começo. O primeiro desenho da roda foi feito por Montague Bear, rotariano de Chicago e engravador que projetou uma simples roda de trem, com alguns traços ao seu redor para dar a perspectiva de movimento. A roda foi projetada para transmitir a idéia de “Civilização e Movimento”. A maioria dos primeiros clubes continham, de alguma forma, em suas publicações e papel timbrado, o desenho da roda de engrenagem. Finalmente, em 1922, foi deliberado que todos os Rotary Clubs deveriam adotar o símbolo, que passaria a ser de uso exclusivo dos rotarianos. Assim, em 1923, a atual roda de engrenagem, com 24 dentes e seis raios, foi adotada como símbolo pela então “Associação do Rotary International”. Um grupo de engenheiros opinou que uma roda de engrenagem era mecanicamente impossível e que, portanto, seria necessário que a mesma contivesse, em seu centro, um rasgo de chaveta. Conseqüentemente, em 1923, o rasgo de chaveta foi anexado, e o símbolo, como é hoje conhecido, foi adotado como o emblema oficial do Rotary International.

 

 

A SECRETARIA

 

Muitos rotarianos consideram a Secretaria simplesmente outro nome para a Sede Mundial do RI em Evanston, Illinois, nos EUA, quando na verdade é muito mais abrangente. Englobando a Sede Mundial e as sucursais, a Secretaria possui aproximadamente 500 funcionários que estão trabalhando para que o Rotary International seja administrado de uma maneira transparente e eficaz. A Secretaria inclui os oito escritórios sucursais esparsos no mundo inteiro e os funcionários que ali trabalham, bem como aqueles que administram a Fundação Rotária. O objetivo principal da Secretaria é prestar assistência aos clubes, distritos e administradores do Rotary International e da Fundação Rotária.

 

 

ALGUNS DADOS PIONEIROS DO MUNDO ROTÁRIO

 

  • A primeira reunião de um Rotary Club foi realizada na cidade de Chicago, no estado de Illinois, EUA, no dia 23 de fevereiro de 1905.
  • O hábito da realização das reuniões ordinárias foi instituído pelo Rotary Club de Oakland, na Califórnia, constituído em 1909.
  • A primeira Convenção do Rotary foi realizada em Chicago, Illinois, EUA, no ano de 1910.
  • O primeiro Rotary Club fora dos Estados Unidos foi constituído na cidade de Winnipeg, na província canadense de Manitoba, em 1910.
  • O primeiro Rotary Club localizado fora da América do Norte Foi constituído na cidade de Dublim, na Irlanda, em 1911.
  • O primeiro Rotary Club em um país de língua não inglesa, foi constituído na cidade de Havana, em Cuba em 1916.
  • O primeiro Rotary Club da América do Sul foi constituído em Montevidéu, no Uruguai, em 1918.
  • O primeiro Rotary Club na Ásia foi constituído em Manila, nas Filipinas, em 1919.
  • O primeiro Rotary Club na África foi constituído na cidade de Joanesburgo, na Africa do Sul, em 1921.
  • O primeiro Rotary Club da Austrália foi criado na cidade de Melbourne, em 1921.

 

 

O OBJETIVO DO ROTARY

 

Em algumas regiões do mundo, as reuniões semanais dos Rotary Clubs são iniciadas com todos os seus membros recitando, de pé, o Objetivo do Rotary. Esta declaração, que faz parte dos Estatutos Prescritos para o Rotary, pode ser freqüentemente encontrada, gravada em uma placa, afixada nas paredes dos escritórios dos rotarianos ou em seus locais de negócios.

O Objetivo do Rotary é “estimular e fomentar o ideal de servir como base de todo empreendimento digno”. A declaração relaciona quatro áreas nas quais o “ideal de servir” é fomentado: através do desenvolvimento do companheirismo como elemento capaz de proporcionar oportunidades de servir; do reconhecimento do mérito de toda a ocupação útil e da difusão das normas de ética profissional; da melhoria da comunidade pela conduta exemplar de cada um na sua vida pública e privada; e da aproximação dos profissionais de todo o mundo, visando a consolidação das boas relações, da cooperação e da paz entre as nações.

Porém, o Objetivo do Rotary já teve outra redação. O primeiro Estatuto do RI, datado de 1906, possuía três Objetivos: promoção dos interesses comerciais, promoção do companheirismo e do avanço dos melhores interesses da comunidade. Em 1910, devido à ênfase que se queria dar à expansão, o Rotary contava com cinco Objetivos. Em 1915, o número de Objetivos tinha sido ampliado para seis. Em 1918, os Objetivos foram novamente reescritos e reduzidos para quatro. Porém, quatro anos depois, foram ampliados para seis, para serem novamente reescritos em 1927.

Finalmente, na Convenção realizada em 1935 na Cidade do México, os Objetivos foram alterados e reduzidos para quatro. A última alteração significativa dos mesmos ocorreu em 1951, quando os “Objetivos” foram condensados em um único “Objetivo”, que se manifesta de quatro diferentes maneiras. O “ideal de servir” é a principal mensagem do Objetivo do Rotary. Este ideal consiste na adoção de uma atitude de ser, sempre, uma pessoa compreensiva e disposta a ajudar ao próximo. É isto o verdadeiro significado do Rotary.

 

 

OS LEMAS DO ROTARY

 

O principal lema do Rotary, “Mais se Beneficia Quem Melhor Serve”, foi aprovado na Segunda Convenção do Rotary, que aconteceu em Portland, no Oregon, EUA, em agosto de 1911. A frase original, “Mais se Beneficia Quem Melhor Serve a seus Companheiros”, foi dita pela primeira vez pelo rotariano de Chicago, Art Sheldon, em um discurso proferido em 1910. Na mesma época, Ben Collins, presidente do Rotary Club de Mineápolis, em Minesota, EUA, comentou que a melhor maneira de se organizar um Rotary Club seria através do lema adotado por seu clube, “Servir Porém Não a Si Próprio”. Estes dois lemas, ligeiramente modificados para “Dar de Si Antes de Pensar Em Si” e “Melhor se Beneficia Quem Melhor Serve”, foram adotados oficialmente pelo Rotary durante a Convenção de 1950, realizada em Detroit, Michigan, EUA. O Conselho de Legislação realizado em 1989, estabeleceu que a frase “Dar de Si Antes de Pensarem Si” passaria a ser adotada como o principal lema do Rotary, uma vez que explica sucintamente a filosofia altruísta da prestação de serviços voluntários.

 

 

COMPARECIMENTO PERFEITO

 

O comparecimento regular às reuniões dos clubes é essencial para que estes sejam fortes e ativos. A ênfase dada ao comparecimento às reuniões data de 1922, quando o Rotary International iniciou um concurso mundial que funcionou como motivação para que centenas de rotarianos mantivessem um índice perfeito de comparecimento às reuniões. Vários rotarianos têm muito orgulho em manter um recorde de comparecimento perfeito em seus próprios clubes ou através da recuperação da ausência comparecendo à reunião ordinária de um outro Rotary Club.

Embora o Regimento Interno do Rotary preveja um índice mínimo de 60% de comparecimento às reuniões, existe uma norma não escrita que o ideal é manter um índice de 100% de comparecimento às mesmas. O Rotary enfatisa o comparecimento regular pelo fato de que cada um de seus sócios representa uma profissão ou negócio distinto e, portanto, sua ausência priva o clube das vantagens de um quadro social diversificado e do companheirismo compartilhado por todos os sócios entre si.

Esporadicamente, são apresentadas propostas de alterações para que não se registre a ausência do sócio que está atuando como jurado, servindo de outra maneira à comunidade, comparecendo a uma convenção de negócios, de férias em uma área remota do planeta, em um navio ou acometido por uma doença ou por uma outra razão especial qualquer. Entretanto, nenhuma destas propostas foi, até o momento, implementada. A norma estabelecida é bastante clara: um sócio não é considerado presente a menos que o mesmo compareça à reunião.

Porém, não se leva em consideração a ausência do sócio a uma reunião ordinária se esta for causada pelo seu comparecimento a um outro evento rotário. Se for solicitado a um rotariano que compareça a uma reunião do Interact ou do Rotaract, sua ausência não será computada. Quando um sócio comparece a uma conferência distrital do Rotary, assembléia distrital, convenção internacional, reunião do Conselho de Legislação, a uma reunião de alguma outra comissão internacional, a uma reunião intercidades ou a algum outro evento especialmente organizado, este comparecimento será creditado. Um rotariano que esteja participando ativamente de um projeto de prestação de serviços localizado em uma área distante onde seja impossível recuperar sua ausência pode, também, vir a receber o crédito.

 

 

A PROVA QUÁDRUPLA

 

Uma das declarações relacionadas à ética profissional mais conhecidas mundialmente é a “Prova Quádrupla” do Rotary. Aprova foi criada, em

1932, pelo rotariano Herbert J. Taylor ao assumir a direção da empresa sediada em Chicago, a Club Aluminum Company, com o objetivo de salvá‑la da falência. Taylor procurou uma maneira de recuperar a empresa que se encontrava afundada em dificuldades financeiras. Ele escreveu um código de ética para ser obedecido por todos os empregados nas suas atividades dentro da empresa e profissionais. A Prova Quádrupla tornou‑se referencial de ética nas vendas, produção, propaganda e em todas as relações da empresa com seus comerciantes e clientes, e sua subseqüente recuperação financeira foi creditada a esta simples filosofia.

Herb Taylor atuou como presidente do Rotary International em 1954‑55. A Prova Quádrupla foi adotada pelo Rotary em 1943 e já foi traduzida para mais de 100 idiomas e reproduzida em centenas de lugares diferentes. As perguntas da Prova devem ser de conhecimento de todos os rotarianos, e por eles obedecidas. “Do que nós pensamos, dizemos ou fazemos: 1) É a VERDADE? 2) É JUSTO para todos os interessados? 3) Criará BOA VONTADE e MELHORES AMIZADES? 4) Será BENÉFICO para todos os interessados?”

 

 

PAUL HARRIS: FOI OU NÃO FOI O PRIMEIRO?

 

Paul Harris foi o primeiro presidente de um Rotary Club? Não.

Paul Harris foi o primeiro presidente do Rotary International? Sim.

 

Existe uma explicação muito simples para esta aparente contradição. Embora o primeiro Rotary Club tenha sido idealizado e fundado por Paul Harris, na cidade de Chicago, em 1905, o homem realmente escolhido para atuar como seu primeiro presidente foi Silvester Schiele, outro sócio fundador.

Até o ano de 1910, havia um total de 16 Rotary Clubs, que formavam uma organização conhecida como Associação Nacional de Rotary Clubs. Alguns anos depois, quando os Rotary Club de Winnipeg, no Canadá, e os da Inglaterra, Irlanda e Escócia foram constituídos a denominação foi alterada para Associação Internacional de Rotary Clubs. Em 1922, a denominação foi novamente alterada para Rotary International.

Quando a primeira associação de Rotary Clubs foi constituída em 1910, Paul Harris foi escolhido como seu primeiro presidente. Ele permaneceu neste cargo por um período de dois anos, de 1910 a 1912. Assim, o idealizador do Rotary, que declinou ser nomeado presidente do primeiro Rotary Club tornou‑se o primeiro presidente da organização mundial conhecida como Rotary International.

 

 

NOMES PRÓPRIOS OU APELIDOS

 

Desde o começo do Rotary, seus sócios se referiam uns aos outros pelo nome de batismo. Este tratamento íntimo é bastante natural, levando‑se em consideração que o conhecimento mútuo e a amizade são pedras fundamentais do Rotary e, assim sendo, os clubes passaram a abandonar a utilização de títulos formais entre os seus sócios. Pessoas que normalmente seriam chamadas de Doutor, Professor, Senhor ou Excelência atendem pelos nomes de João, Guilherme Carlos ou José. O crachá geralmente utilizado em uma reunião do Rotary Club mostra o nome de batismo de cada um dos sócios.

Em algumas regiões do mundo, como na Europa por exemplo, os sócios dos clubes utilizam um tratamento interno mais formal ao se dirigirem aos seus companheiros. Em outras, especialmente na Ásia, é pratica normal apelidar cada sócio com um nome que, de alguma maneira, transmita alguma de suas características físicas ou que se refira à profissão ou negócio daquele sócio. Assim, um sócio cuja categoria seja a de fabricante de produtos químicos gasosos é apelidado de “Oxigênio”. Já o sócio que está envolvido no ramo da madeireira é chamado de “Árvore”; o construtor é chamado de “Edifício” e o vendedor de papel ou de material para escritórios é conhecido como “Papel”. Outros sócios são conhecidos como “Músculos”, ou “Sorrisos”, em alusão a uma de suas características físicas.

Os apelidos são símbolos de companheirismo e de brincadeiras entre amigos. Mas, quer o rotariano seja conhecido por seu nome próprio ou por um apelido, o espírito da amizade pessoal é o passo inicial que abre as portas para todas as outras oportunidades de prestação de serviços.

 

 

AS QUATRO AVENIDAS DE SERVIÇO

 

O termo “As Quatro Avenidas de Serviço” é freqüentemente utilizado na literatura e informação rotárias. As “Avenidas” referem‑se aos quatro elementos do Objetivo do Rotary: Serviços Internos, Serviços Profissionais, Serviços à Comunidade e Serviços Internacionais.

Embora as Avenidas de Serviço não estejam formalmente contidas em nenhuma parte dos documentos de constituição do Rotary, o seu conceito tem sido aceito como uma maneira de se descrever as principais áreas de atividades do Rotary. Elas são:

  • “Serviços Internos”, envolve os passos a serem adotados pelos rotarianos para um excelente funcionamento do clube.
  • “Serviços Profissionais”, descreve as oportunidades que cada rotariano têm de demonstrar a dignidade e a utilidade de sua profissão aos demais sócios do clube.
  • “Serviços à Comunidade”, consiste nos vários empenhos dos rotarianos para a melhoria da qualidade de vida dos habitantes de suas comunidades. Isto é freqüentemente feito através da prestação de serviços aos jovens, aos idosos, aos deficientes e às demais pessoas que vêem no Rotary uma fonte de esperança de uma vida melhor.
  • A Quarta Avenida, de “Serviços Internacionais”, descreve os vários programas e atividades que os rotarianos implementam em prol da paz, da boa vontade e da compreensão internacional. Os projetos de prestação de serviços internacionais são implementados visando suprir as carências humanitárias das pessoas de diferentes países.

Quando um rotariano compreende e atua através das “Quatro Avenidas de Serviço”, o Objetivo do Rotary adquire um significado ainda maior.

 

 

THE ROTARIAN E REVISTAS REGIONAIS

 

O mês de abril é, a cada ano, designado o “Mês da Revista do Rotary”,uma ótima ocasião para promover a leitura e a utilização prática da THE ROTARIAN, a revista oficial do RI, assim como de outras revistas regionais.

A THE ROTARIAN foi lançada em 1911 para possibilitar a comunicação entre os rotarianos e para fomentar os programas e o Objetivo do Rotary. O principal objetivo da revista é o de apoiar e divulgar o lema anual e a filosofia do Presidente do RI e disseminar informações a respeito de programas novos ou especiais, assim como as principais reuniões e ênfases dos vários meses “oficiais” do Rotary.

A THE ROTARIAN oferece um canal de comunicação no qual tanto assuntos de interesse geral como aqueles específicos do Rotary podem ser debatidos. Freqüentemente, a revista apresenta discussões interessantes a respeito de determinados assuntos. A revista funciona como uma excelente fonte de recursos e de idéias para os programas das reuniões dos Rotary Clubs e conferências distritais. Vários dos artigos promovem a amizade, a boa vontade e a compreensão mundial. Seus leitores regulares geralmente possuem um conhecimento superior das atividades do Rotary e de como cada rotariano pode estar mais envolvido nas Quatro Avenidas de Serviços no mundo afora.

Além da THE ROTARIAN, existem 28 revistas regionais, impressas em 22 idiomas. Embora cada publicação regional possua suas características e conteúdo próprios, todas elas fornecem aos seus leitores informação atualizada e um bom material de leitura no mês de abril e em todos os outros meses do ano.

 

 

A RESPONSABILIDADE INTERNACIONAL DE UM ROTARIANO

 

Sendo uma organização internacional, o Rotary, ao contrário de outras organizações, oferece a cada um de seus sócios oportunidades e responsabilidades ímpares. Embora cada rotariano tenha que inicialmente cumprir com suas obrigações cívicas, a sociedade com o Rotary permite que os rotarianos tenham uma visão relativamente diferente em relação a assuntos de um âmbito internacional. No começo dos anos 50 um parecer foi emitido visando descrever como um rotariano deve encarar uma questão global. O texto do parecer encontra‑se abaixo:

“Um rotariano de mente aberta:

  • olha além do patriotismo e assume sua parte na responsabilidade pelo desenvolvimento da compreensão, boa vontade e paz mundial;
  • resiste a qualquer tentação de agir como se possuísse qualquer superioridade racial ou étnica;
  • almeja e desenvolve um ambiente para compreender outros povos;
  • defende a letra da lei e da ordem na preservação da liberdade de terceiros, para que estes possam usufruir da liberdade de pensamento, expressão e de reunião, e estar livre de perseguições, agressões e medos;
  • apoia as ações tomadas em prol da melhoria das condições de vida da humanidade em geral, estando ciente de que a pobreza em apenas um local põe em perigo o desenvolvimento como um todo;
  • mantém os princípios gerais de justiça da raça humana;
  • luta pela preservação da paz entre as nações e está pronto para fazer qualquer sacrifício por este ideal;
  • incentiva e pratica um ideal de compreensão quanto aos credos de cada um dos outros seres humanos como um passo em direção à compreensão mundial, reconhecendo que existem certos padrões morais e espirituais que asseguram uma vida mais plena e rica”.

Isto representa uma missão bastante substancial a ser praticada por qualquer rotariano em seus pensamentos e ações.

 

 

ESTATUTOS PRESCRITOS PARA O CLUBE

 

O Rotary International é a organização internacional que é representada no maior número de países. Ela existe hoje em 150 países e engloba dezenas de idiomas, estruturas sócio‑políticas, hábitos, religiões e tradições. Como é possível que quase 27.000 Rotary Clubs em todo o mundo operem praticamente da mesma maneira? O principal responsável por este fenômeno são os Estatutos Prescritos para o Clube.

Uma das condições pré‑estabelecidas para que um clube receba o certificado de admissão para se tornar um Rotary Club é que o mesmo ratifique os Estatutos Prescritos para o Clube, originalmente adotados em 1922. Os Estatutos Prescritos descrevem as técnicas administrativas para serem seguidas pelos clubes com respeito à realização de suas reuniões ordinárias, admissão na sociedade e preenchimento das classificações; regras de comparecimento às reuniões e ao pagamento das contribuições e várias outras normas relacionadas à posição a ser adotada frente às questões de interesse público e políticas.

Os documentos estatutários fornecem a estrutura para todos os Rotary Clubs do mundo. Quando os Estatutos Prescritos para o Clube foram adotados, ficou estabelecido que todos os clubes então existentes poderiam continuar a obedecer os seus estatutos então válidos. Embora a grande maioria dos clubes tenham subseqüentemente adotado os Estatutos Prescritos para o Clube, alguns clubes constituídos antes de 1922 ainda conduzem seus trabalhos rotineiros de acordo com seus estatutos anteriores.

Os Estatutos Prescritos para o Clube são considerados um dos mais fortes elos de ligação do Rotary, que possibilita que a organização funcione em milhares de comunidades.

 

 

O PATROCÍNIO DE UM NOVO SÓCIO

 

O Regimento Interno do Rotary International define claramente o procedimento a ser adotado com relação à apresentação de um novo candidato a sócio. O “proponente” desempenha um papel fundamental no desenvolvimento do quadro social do Rotary e na divulgação dos ideais rotários. Sem patrocínio, um indivíduo jamais terá a oportunidade de se tornar rotariano.

A responsabilidade do proponente não termina com a simples submissão do nome de um candidato ao Secretário do clube ou à Comissão de Desenvolvimento do Quadro Social. O Rotary não define responsabilidades formais para os proponentes ou patrocinadores. Entretanto, por costume e tradição, as normas abaixo são adotadas por vários clubes. É dever do sócio patrocinador:

  1. convidar o candidato a sócio a participar de várias reuniões do clube antes de propor seu nome como candidato a sócio.
  2. acompanhar o novo sócio a uma ou mais reuniões de orientação/informação.
  3. apresentar, nas reuniões semanais, pelo prazo de um mês, o novo sócio aos demais sócios do clube.
  4. convidar o novo sócio a acompanhá‑lo às visitas aos clubes vizinhos quando da realização da primeira reunião de recuperação de freqüência com a finalidade de aprender o procedimento a ser seguido quando a recuperação de uma ausência for necessária e para observar o espírito de companheirismo.
  5. convidar o novo sócio e seu cônjuge a acompanhar o patrocinador às várias atividades sociais do clube, jantares e outras ocasiões especiais.
  6. incentivar o novo sócio e seu cônjuge a comparecerem, em companhia do patrocinador, à conferência distrital.
  7. atuar como um amigo especial para assegurar que o novo sócio tornar‑se‑á um rotariano ativo.

Quando o proponente segue estas normas, o Rotary se torna mais e mais forte com a admissão de cada sócio.

 

 

AS MULHERES NO ROTARY

 

Até 1989, tanto o Regimento Interno como os Estatutos do Rotary International previam que apenas homens poderiam ser sócios de um Rotary Club. Em 1978, o Rotary Club de Duarte, na Califórnia, EUA, convidou três mulheres a se associarem à organização. O Conselho Diretor do RI cancelou, então, o Diploma de Admissão do clube por violação à letra do Regimento Interno do RI. O clube acionou o RI, com base na violação pelo RI das leis civis estaduais que proíbem qualquer forma de discriminação em estabelecimentos comerciais ou acomodações públicas. O Tribunal de Apelações e a Suprema Corte do Estado da Califórnia ratificaram a decisão tomada pelo tribunal inferior apoiando a posição do clube de Duarte de que o Rotary não tinha o direito de cancelar a associação de um clube pelo fato do mesmo ter admitido mulheres no seu quadro social. A Suprema Corte dos Estados Unidos ratificou a decisão adotada pela corte californiana no sentido de que Rotary Clubs possuem um “objetivo comercial” e são, de certa maneira, organizações abertas ao público. Esta decisão de 1987 permitiu que mulheres passassem a ser admitidas como sócias em toda e qualquer jurisdição que tivesse leis de “acomodações públicas” semelhantes.

A alteração do Regimento Interno foi efetuada pelo Conselho de Legislação de 1989, que votou pela eliminação da posição até então adotada de que todo o Rotary deve ser uma organização “exclusivamente masculina”.

 

 

A SEDE MUNDIAL DO RI

 

A Sede Mundial do Rotary International sempre foi localizada nos arredores de Chicago, Illinois, EUA. No início, a Sede Mundial ficava na própria cidade de Chicago, mas, em 1954, surgiu uma grande oportunidade no subúrbio de Evanston. O prédio localizado na Avenida Ridge supriu, até o início dos anos 80, todas as necessidades da Secretaria do Rotary, quando a combinação de novos programas, o crescimento da Fundação Rotária e as novas atividades do Pólio Plus causaram a super lotação da antiga Sede Mundial e fizeram com que vários de nossos funcionários passassem a ser transferidos para outros escritórios localizados nas redondezas.

Quando um moderno escritório de 18 andares no centro de Evanston ficou disponível em 1987, tornou‑se evidente que todas as necessidades

futuras de espaço e expansão do Rotary seriam supridas. A estrutura de vidro e aço, construída em 1977, possui cerca de 130.000 metros quadrados de escritórios e espaço disponível. O prédio foi adquirido pelo Rotary International, que aluga, a diversos locatários comerciais, cerca de dois terços de seu espaço, até que as necessidades futuras do Rotary assim o permitirem.

O prédio possui um auditório de 190 lugares, uma garagem de tamanho substancial e uma cafeteria para 300 pessoas, bem como espaço funcional para os 400 empregados da Sede Mundial. O 18″ andar inclui salas de conferência para as reuniões do Conselho Diretor e das diversas comissões, além de ser o andar onde estão localizados as salas do presidente, do presidente‑eleito e do secretário geral.

Chamado de “One Rotary Center”, o prédio possibilitará o desempenho eficiente das operações da organização pelos anos à frente.

 

 

MAIS DADOS PIONEIROS

 

  • O Rotary se tornou bilíngue em 1916, quando foi constituído 0 clube da Havana, em Cuba, o primeiro fora de um país de língua inglesa.
  • O Rotary estabeleceu, em 1917, o “Fundo de Dotações”, que foi o predecessor da Fundação Rotária.
  • O Rotary adotou a denominação “Rotary International” em 1922, quando teve seu antigo nome, “Associação Internacional de Rotary Clubs” alterada.
  • O Rotary estabeleceu a medalha de reconhecimento de Companheiro Paul Harris em 1957, visando homenagear as pessoas que efetuam doações de US$1.000,00 à Fundação Rotária.
  • Foi o Rotary Club de n° 3, localizado em Oakland, na Califórnia, que iniciou a prática de realizar reuniões semanais.
  • O emblema do Rotary foi impresso pela primeira vez em um selo comemorativo no ano de 1931, quando da realização da Convenção de Viena.
  • A primeira flâmula rotária (do Centro Espacial de Houston) a ser enviada ao espaço foi levada pelo astronauta Frank Borman, sócio daquele clube.
  • A primeira Convenção do Rotary International realizada fora dos Estados Unidos aconteceu em Edimburgo, na Escócia, em 1921.
  • O primeiro chefe de estado a discursarem um Rotary Club foi o Presidente dos Estados Unidos, Warren G. Harding, no ano de 1923, na cidade de Saint Louis.

 

 

SALA 711 ‑ LOCAL DE NASCIMENTO DO ROTARY

 

O número 711 tem um significado muito especial para o Rotary. A sala deste número no antigo Edifício Unity, outrora localizado na Rua North Dearborn n°127, no centro da cidade de Chicago, Illinoïs, EUA, foi o local de nascimento do Rotary International. Aquela sala histórica, escritório do engenheiro Gus Loehr, testemunhou a primeira reunião quando Paul Harris encontrou‑se com vários amigos para discutir sua nova idéia de um clube para profissionais e homens de negócios.

Foi necessária ampla pesquisa e a dedicação de um grupo de rotarianos de Chicago para preservar e restaurar a sala exatamente como era

em 1905. Durante anos, a Sala 711 foi mantida como um museu em miniatura do Rotary por rotarianos do mundo inteiro, os quais voluntariamente tornaram‑se membros e contribuíram anualmente para o “Club Paul Harris 711”, que forneceu fundos para o aluguel, manutenção e preservação. Em 1989, o Edifício Unity estava para ser demolido. Os membros do Club 711 cuidadosamente desmontaram a sala e guardaram o material em um depósito onde permaneceu até 1994 quando encontrou‑se um local permanente, na Sede Mundial do RI em Evanston, onde esta relíquia da herança rotária está hoje em dia preservada.

 

 

MÊS DA COMPREENSÃO MUNDIAL

 

O mês de fevereiro é dedicado à Compreensão Mundial, e é muito especial para o calendário rotário. Neste mês celebra‑se, também, o aniversário da primeira reunião de um Rotary Club, realizada no dia 23 de fevereiro de 1905, que passou a ser designado Mês da Compreensão e da Paz Mundial.

Ao instituir o Mês da Compreensão Mundial, o Conselho Diretor do Rotary International solicita que todos os Rotary Clubs organizem programas para serem apresentados durante suas reuniões semanais e que implementem atividades especiais que tenham por finalidade enfatizar a “compreensão e a boa vontade como essenciais para o alcance da paz mundial”.

Visando homenagear este mês especial, muitos Rotary Clubs convidam oradores de fama internacional, jovens participantes de Intercâmbios de jovens e bolsistas que estejam estudando, respectivamente, em colégios e universidades para as suas reuniões ordinárias; planejam programas que envolvam ex‑integrantes dos Intercâmbios de Grupos de Estudos; organizam palestras sobre assuntos internacionais; apresentam entretenimento com um tema internacional, cultural ou artístico e outros tantos programas de temática internacional.

Diversos clubes aproveitam a ocasião para implementarem, pela primeira vez, alguma atividade de prestação de serviços internacionais ou para fazerem contato com um Rotary Club localizado em um outro país. Trata‑se de um bom mês para se iniciar um Intercâmbio Rotário da Amizade, um projeto 3‑H ou incentivar o apoio ao programa Pólio Plus ou a outros programas da Fundação Rotária.

O Mês da Compreensão Rotária oferece uma ótima oportunidade para que os programas reflitam, planejem e promovam as Quatro Avenidas de Serviço do Rotary ‑ a contínua luta do Rotary pela adoção da boa vontade, paz e compreensão por todas as pessoas do mundo.

 

 

PRÊMIO ROTARY PARA A PAZ E A COMPREENSÃO MUNDIAL

 

A cada ano, desde 1981, com apenas uma exceção, o Prêmio Rotary para a Paz e a Compreensão Mundial tem sido entregue àqueles indivíduos ou organizações “cuja vida ou trabalho realizado represente de alguma maneira excepcional ou meritória o ideal rotário de prestação de serviço, especialmente na promoção da compreensão, da boa vontade e da paz mundial”. O prêmio é entregue durante a Convenção Internacional do Rotary. Uma comissão composta por membros de todo o mundo escolhe o vencedor, cujo nome deve ser ratificado pelo Conselho Diretor do RI e pelos Curadores da Fundação Rotária.

Além de uma bela escultura de cristal, o prêmio fornece ao vencedor a quantia de US$100.000 dólares, a ser doada a uma entidade de caridade de sua escolha, mas que tenha objetivos em harmonia com a missão da Fundação Rotária de alcançar, através de projetos humanitários e educacionais, a paz e a compreensão mundial. O prêmio já foi entregue às seguintes pessoas e organizações: Dr. Noburo Iwamura (1981), professor japonês de pesquisa médica; Papa João Paulo II (1982); Dr. Lotta Hitschmanova (1983), humanista canadense; Associação Mundial do Movimento dos Escoteiros (1984); Dr. Albert Sabia (1985), cientista descobridor da vacina oral contra a poliomielite; Comissão Internacional da Cruz Vermelha (1986); Lady Hermione Ranfurly (1987), dos Serviços Bibliotecários Ranfurly; Exército da Salvação (1988); Vaclav Havel (1990), Presidente da antiga Tcheco‑Eslováquia; Javier I’érez de Cuéllar (1991), ex‑Secretário Geral das Nações Unidas; Edward J. Piszek (1992), homem de negócios e filantropo americano; Dr. Fred Hollotn•s (1993), médico australiano; Jimmy Carter (1994), Ex‑Presidente dos EUA; e o falecido James Grant (1995), ex‑diretor executivo da UNICEF.

 

 

O PRINCÍPIO DA CLASSIFICAÇÃO

 

A associação ao Rotary, sem nenhuma exceção, é baseada em uma “classificação”. Basicamente, uma classificação descreve e reconhece os serviços prestados à sociedade por um determinado profissional ou negócio.

O princípio da classificação rotária é de certo modo bastante específico e preciso. Para se determinar a que classificação um rotariano pertence, é necessário que se olhe para a “atividade principal ou reconhecida da firma, empresa ou instituição a que está ligado o rotariano ou sua atividade ou profissão principal junto à mesma ou como autônomo”.

Deve ficar bem claro que as classificações são determinadas pelas atividades ou serviços prestados à sociedade, e não pela posição detida por uma pessoa em particular. Em outras palavras, se uma pessoa ocupar o cargo de presidente de banco, ela não estará classificada como “Presidente de Banco”, mas, ao invés, como “Banco”.

A atividade principal ou reconhecida de uma firma ou estabelecimento comercial ou a atividade profissional ou profissão reconhecida é que determina a classificação a ser estabelecida a uma certa pessoa. Por exemplo, o engenheiro elétrico, o agente de seguros, o gerente de uma companhia ferroviária, de uma empresa de mineração, de uma fábrica, hospital, clínica, etc., que esteja permanentemente empregado pode vir a ser considerado para rotariano como representante daquela profissão específica que estiver desempenhando ou como representante da firma, empresa, ou instituição à qual estiver prestando seus serviços profissionais.

A classificação principal permite, também, que negócios e indústrias sejam separados em funções distintas, tais como, por exemplo, “fabricação, distribuição, varejo e prestação de serviços”. Ademais, as classificações podem ser divididas em partes independentes de uma grande empresa ou universidade que esteja localizada dentro do território do clube, como no caso de uma “escola de administração de empresas” e “escola de engenharia”.

O conceito da classificação é necessário para assegurar que cada Rotary Club tenha representado no seu quadro social um corte transversal dos negócios e das profissões de uma comunidade.

 

 

TROCA DE FLÂMULAS

 

Uma das melhores tradições mantidas entre vários Rotary Clubs é o hábito de se trocar pequenas flâmulas, bandeiras ou distintivos. Os rotarianos que se encontram em viagem freqüentemente levam consigo várias flâmulas de seu clube para, como símbolo de amizade, trocá‑las durante as reuniões de recuperação de freqüência. Inúmeros clubes utilizam as diversas flâmulas que receberam como atraente decoração de suas reuniões de clubes e eventos distritais.

O Conselho Diretor do Rotary International reconheceu, em 1959, a crescente popularidade da prática de se trocar flâmulas e bandeiras e sugeriu que aqueles clubes que participam desta atividade dêem especial atenção ao desenho de sua flâmulas, fazendo o máximo pura que as mesmas sejam singulares e expressem características do comunidade e país do qual o clube é parte. É aconselhável que as flâmulas dos clubes contenham fotografias, slogans ou desenhos que retratem a área territorial do clube.

O Conselho Diretor também levou em considerado o custo financeiro que referida prática de se trocar bandeiras pode vir a ter sobre determinados clubes, especialmente sobre aqueles localizados em áreas onde haja grande interesse turístico e, consequentemente, grande demanda de recuperação de freqüência e troca de lembranças. Em todo e qualquer caso, solicita‑se aos clubes que usem de discrição e moderação no exercício da troca de bandeiras e flâmulas para que os eventuais encargos financeiros não venham a interferir com as atividades básicas daquele clube.

A troca de flâmulas entre clubes é uma prática bastante agradável, especialmente quando envolver uma flâmula que transmite uma mensagem criativa e que seja motivo de orgulho para a sua comunidade. A troca de flâmulas é uma importante tradição rotária e é um símbolo tangível de nosso companheirismo internacional.

 

 

REGRAS DE NÃO COMPARECIMENTO

 

Os Estatutos Prescritos para um Rotary Club estabelecem três circunstâncias que levam à terminação automática da qualidade de sócio devido ao não comparecimento às reuniões ordinárias. Estas circunstâncias são: ausência ou não recuperação em quatro reuniões seguidas; ausência ou não recuperação de 60% das reuniões do clube a cada período de seis meses; e ausência a pelo menos 30% das reuniões de seu próprio clube a cada período de seis meses. Sob qualquer destas circunstâncias, um sócio perderá sua qualidade de associado ao Rotary, a menos que o Conselho Diretor do clube tenha previamente autorizado referidas ausências com base em uma justificativa boa e nobre.

Para algumas pessoas, estas regras podem parecer bastante duras. No entanto, estar presente em uma reunião ordinária do clube é uma das obrigações básicas que um sócio aceita ao se unir a um Rotary Club. As regras estatutárias apenas enfatizam que um Rotary Club é uma organização participativa que dá a maior importância ao comparecimento regular de seus sócios. Quando um sócio está ausente, todo o clube deixa de desfrutar da associação pessoal com aquele sócio. A presença de todos os sócios às reuniões do clube é considerada de vital importância para a operacionalização e sucesso do mesmo.

Conseqüentemente, o fato de qualquer rotariano deixar de comparecer a quatro reuniões seguidas do clube, ou não observar os outros requerimentos de freqüência equivale a submeter sua renúncia como sócio daquele clube. Quando um clube termina a qualidade de sócio de um indivíduo devido ao seu não comparecimento, está simplesmente aceitando a renúncia do mesmo, e tal ato não deve ser encarado como uma ação de teor punitivo tomada pelos dirigentes do clube. Todos os rotarianos conhecem as conseqüências do não‑comparecimento e, assim sendo, sua ausência proposital às reuniões é uma decisão consciente que é tomada visando sua retirada do clube.

 

 

COMPARTILHANDO O ROTARY COM NOVOS SÓCIOS

 

Você está consciente das responsabilidades ou obrigações que a grande maioria dos rotarianos simplesmente deixa de cumprir? Estamos, por um acaso, falando do pagamento da contribuição social? Do comparecimento às reuniões? Da doação ao fundos do clube para a prestação de serviços? Ou da participação nos eventos e nos projetos dos clubes? Não; nenhuma destas.

De todas as obrigações que uma pessoa aceita ao se associar a um Rotary Club, aquela que todos os rotarianos deixam de obedecer é a de “compartilhar o Rotary”. As normas do Rotary International mencionam claramente que todo e qualquer indivíduo tem a “obrigação de compartilhar o Rotary com os demais e deve ajudar a expansão do Rotary através da submissão de nomes de candidatos qualificados, para que os mesmos sejam considerados para sócios da organização”. Estima‑se que menos de 30 por cento dos sócios da maioria dos Rotary Clubs sequer fizeram qualquer esforço para submeter o nome de um candidato a sócio. Conseqüentemente, em todo e qualquer clube, existem inúmeros rotarianos que imediatamente aceitam as vantagens de sócios do Rotary sem jamais compartilhar este privilégio com um outro indivíduo igualmente capacitado.

As normas com relação à associação a um Rotary Club define claramente: “para que um Rotary Club possa ser relevante a uma específica comunidade e capaz de suprir as necessidades daqueles que nela habitam, é importante e necessário que o clube inclua no seu quadro social todos os potenciais sócios que sejam qualificados e que sejam moradores daquele território”. Qualquer rotariano só precisa folhear as páginas amarelas de sua cidade para perceber que a maioria dos clubes não pode ter convidado todas as pessoas qualificadas proprietárias de negócios ou que sejam profissionais liberais para se associar à organização.

Apenas alguém que é rotariano pode propor o nome de um cliente, vizinho, fornecedor, executivo, parente, sócio, profissional liberal ou de outra pessoa para se associar a um Rotary Club. Você não aceitou a obrigação de compartilhar o Rotary? Os procedimentos a serem seguidos são bastante simples e cada um de nós deve conhecer pelo menos uma pessoa que deveria ser sócia de um Rotary Club.

 

 

TOLERÂNCIA DAS DIFERENÇAS

 

Ocasionalmente, pode haver a tentação de se criticar as leis, os costumes e as tradições de um outro país devido ao fato destas parecerem estranhas ou mesmo contrárias às nossas próprias. Em alguns casos, práticas ilegais ou costumes estranhos de uma determinada nação podem ser completamente legais e comuns em outra.

Como membros de uma organização internacional dedicada à divulgação da compreensão e da paz mundial, os rotarianos têm o dever de

evitar fazer julgamentos a respeito de nossos companheiros e dos cidadãos de outros países quando o comportamento dos mesmos lhes parecer estranho. Uma declaração de princípios adotada já há meio século pelo Rotary refere‑se ao dilema dos relacionamentos internacionais.

A declaração, adotada em 1933, menciona que uma vez que é reconhecido que algumas atividades e costumes de determinados locais podem ser legais e usuais em certos países e ilegais em outros, os rotarianos devem se deixar guiar pela tolerância:

“Rotarianos de todos os países devem reconhecer estas circunstâncias e, assim sendo, um rotariano deve evitar criticar as leis e aos costumes do país de um outro rotariano.”A declaração menciona também que deve‑se evitar “qualquer tentativa por parte de um rotariano de um país em interferir com as leis e os costumes de um outro país”.

À medida em que lutamos para reforçar os nossos laços de compreensão, boa vontade e amizade, estas normas podem nos fornecer um bom conselho e servir como orientação.

 

 

RECUPERAÇÃO DE FREQÜÊNCIA ORIGINAL

 

Quais são os rotarianos que necessitam percorrer a maior distância para recuperar uma reunião? Acertou se pensou nos 34 sócios do Rotary Club de Papeete, Taiti, localizado no meio do Oceano Pacífico. A reunião do Rotary que acontece no ponto mais meridional do hemisfério sul é a do Rotary Club de Punta Arenas, no Chile. Para visitar o clube mais setentrional, ou seja, o Rotary Club de Nordkapp, na Noruega, é preciso cruzar o Círculo Ártico. Caso participe de uma reunião do Club El Aguiar, na Argentina, estará no clube mais alto do mundo, a 4.880 metros acima do nível do mar. O clube mais baixo localiza‑se a aproximadamente 12 metros abaixo do nível do mar, e é o de El Centro, na Califórnia, EUA.

Há uma reunião do Rotary sendo realizada em algum ponto do Globo a cada hora todos os dias do ano. Caso participe de uma reunião por dia, seriam necessários 75 anos para visitar os mais de 27.000 Rotary Clubs do mundo e até lá, com certeza, já existirão milhares de outros novos para visitar.

 

 

SERVIÇOS PROFISSIONAIS

 

Os Serviços Profissionais constituem a “Segunda Avenida de Serviço”. Nenhum aspecto do Rotary é mais intimamente ligado com cada um dos seus sócios do que o compromisso individual assumido de se simbolizar determinada profissão ou ocupação para seus companheiros rotarianos e de atuar como modelo de uma alta ética profissional e de dignidade do trabalho. Os programas de prestação de serviços profissionais são os que procuram melhorar as relações de trabalho em consonância com a melhoria da qualidade do comércio, da indústria e das profissões. Os rotarianos compreendem que cada pessoa faz, através de suas atividades diárias em determinado negócio ou profissão, uma valiosa contribuição para o alcance de uma sociedade melhor.

Os serviços profissionais são freqüentemente utilizados através do oferecimento aos jovens de serviços de aconselhamento profissional, informações sobre determinadas profissões e assistência na escolha de que profissão seguir. Alguns clubes patrocinam conferências em escolas de 2″ grau. Outros reconhecem a dignidade de determinadas profissões através de homenagens a determinados membros daquela categoria por seus serviços prestados às respectivas comunidades. A Prova Quádrupla e outras filosofias de negócios e ética são constantemente promovidas entre os membros da juventude que estão entrando no mercado de trabalho. Na maioria dos clubes, um debate sobre assuntos profissionais e as discussões de temas práticos são programas freqüentes de prestação de serviços profissionais.

Independentemente da maneira como os serviços profissionais são abordados, é através desta Avenida de Serviços que os rotarianos “reconhecem a valor de todas as profissões úteis” e demonstram o compromisso “de altos padrões de ética em todos os negócios e profissões”. É por este motivo que a Segunda Avenida de Serviço é tão importante para cada Rotary Club.

 

 

CASAS DA AMIZADE

 

Em vários Rotary Clubs do mundo inteiro, as mulheres dos sócios são afetuosamente chamadas de “Rotary Anns”. (Nos países de língua portuguesa, as esposas dos rotarianos colaboram com os projetos rotários através das “Casa da Amizade”.) A denominação de “Rotary Anns” é resultado de um curioso evento histórico.

O ano era 1914 e os rotarianos da cidade de São Francisco embarcaram em um trem para comparecer a uma convenção do Rotary que aconteceria em Houston, no Texas. Naquele tempo, pouquíssimas esposas compareciam aos eventos do Rotary e, até que o trem tivesse parado na cidade de Los Angeles, a única mulher a bordo era a esposa do rotariano Bru Brunnier. À medida em que o trem pegava pelo caminho mais e mais rotarianos que se dirigiam à convenção, a Sra. Ann Brunnier era apresentada como a “Ann dos rotarianos”. Este apelido logo se transformou em “Rotary Ann”. Uma vez que os clubes localizados no oeste dos Estados Unidos tinham a intenção de convidar os rotarianos a realizarem sua próxima convenção na cidade de São Francisco, uma série de canções e acrobacias foram ensaiadas para serem apresentadas durante a convenção de Houston. Um dos rotarianos escreveu uma canção dedicada a “Rotary Ann”. Na chegada do trem à estação ferroviária em Houston, uma delegação estava à espera do trem dos rotarianos. Um dos que estavam esperando o trem era Guy Gundaker da Filadélfia, cuja esposa também tinha o nome de Ann. Durante a recepção de chegada, alguém começou a cantar a canção dedicada à “Rotary Ann”. As duas senhoras, Ann Brunnier e Ann Gundaker, foram colocadas nos ombros dos homens e desfilaram pelo salão. Todos adoraram o título dado às mulheres chamadas Ann. Imediatamente, o mesmo termo carinhoso passou a ser usado com relação a todas as mulheres que comparecessem aos eventos rotários. O termo “Rotary Ann” tinha chegado para ficar!

Guy Gundaker tornou‑se presidente do RI em 1923 e Bru Brunnier foi eleito presidente em 1952. Assim, cada uma das duas primeiras “Rotary Anis” tornou‑se “primeira‑dama do Rotary International” .

 

 

LIÇÕES DE GEOGRAFIA ROTÁRIA

 

Você sabia que:

  • o Rotary Club de Reno, em Nevada, EUA, está mais a oeste do que o Rotary Club de Los Angeles, na Califórnia, EUA?
  • as reuniões do Rotary Club de Portland, em Maine, EUA, são realizadas mais ao sul das que são realizadas nos clubes de Londres, na Inglaterra?
  • o Rotary Club de Pensacola, na Flórida, EUA, fica mais ao oeste do que o clube de Detroit, em Michigan, EUA?
  • o Rotary Club de Cairo, em Illinois, EUA, fica ao sul do Rotary Club de Richmond, na Virgínia, EUA?
  • existem 69 Rotary Clubs com a palavra Tóquio em suas denominações sociais?
  • o Rotary Club de Nome, no Alasca, EUA, fica a oeste do Rotary Club de Honolulu, no Havaí, EUA, e que o Rotary Club de Santiago, no Chile está localizado ao leste do Rotary Club de Filadélfia, na Pensilvânia, EUA?
  • como é do conhecimento dos geógrafos do Rotary, cada uma das reuniões que acontecem nos Rotary Clubs da Austrália são realizadas ao leste das realizadas nos Rotary Clubs de Hong Kong.
  • os Rotary Clubs de Quito, no Equador, o de Libreville, no Gabão, o de Singapura, e o de Kampala, em Uganda, têm algo em comum? Acertou se mencionou que são todos localizados na linha do Equador.
  • existem muitas outras relações interessantes e coisas para aprender à medida que amplia seu conhecimento dos mais de 27.000 clubes em todo o mundo rotário!

 

 

INVOCAÇÕES RELIGIOSAS NAS REUNIÕES DO CLUBE

 

Em vários Rotary Clubs, especialmente naqueles localizados nas nações de religião judáica e cristã, é comum que cada reunião ordinária de um Rotary Club seja precedida de uma prece ou pedido de bênção. Normalmente, estas invocações são oferecidas sem nenhuma menção a qualquer religião ou credo específico.

As normas de procedimento do Rotary reconhecem que os rotarianos de todo o mundo representam várias crenças religiosas, idéias e credos. As crenças religiosas de cada um dos sócios do Rotary devem ser respeitadas, e nada no Rotary deve dar a impressão de que seus sócios não são livres para seguir a religião que bem desejarem.

Nas assembléias e convenções internacionais, é costume se fazer uma invocação de silêncio. Como sinal de respeito a todas as religiões e dentro do espírito de tolerância pela enorme variedade de crenças pessoais, todas as pessoas presentes são convidadas a procurarem orientação divina e paz, “cada uma à sua maneira”. É uma experiência inspiradora participar, juntamente com milhares de rotarianos, em uma “prece internacional silenciosa” ou em um ato de devoção pessoal. Geralmente, todas as reuniões do Conselho Diretor do Rotary International e reuniões das diversas comissões começam com uma meditação em silêncio. Através destes momentos de silêncio, o Rotary demonstra seu respeito pelas diversas crenças religiosas de seus sócios.

Uma vez que cada Rotary Club é autônomo, a prática de se fazer uma oração ou invocação nas reuniões dos clubes é deixada a critério de cada clube, ficando entendido, entretanto, que estes rituais devem ser sempre conduzidos de maneira a respeitar as convicções e crenças religiosas de todos os seus sócios.

 

 

OFFICIAL DIRECTORY

 

Como poderá descobrir quando é a reunião do Rotary Club em Toowoomba, em Pondicherry ou em Recklinghausen? Simplesmente consulte o Official Directory do Rotary International. A publicação anual de aproximadamente 750 páginas contém informações atualizadas sobre rotarianos e Rotary Clubs. Encontrará listado o dia das reuniões, horário e local de cada um dos mais de 27.000 clubes. O Official Directory fornece o nome e endereço de cada presidente e secretário de clube, bem como o número de sócios e data de fundação.

Encontrará ali, também, um grande número de informações sobre mais de 500 distritos rotários, bem como a composição e propósitos de todas as comissões do Rotary. Os nomes e endereços dos membros do atual Conselho Diretor do RI e dos Conselhos anteriores também estão incluídos, assim como os nomes dos ex‑Presidentes do RI e seus respectivos lemas. Outro dado de destaque é um excelente guia de hotéis no mundo inteiro. O Official Directory pode ser obtido por US$9 através da Sede Mundial do RI em Evanston, Illinois. É um guia apropriado e importante para manter contatos quando estiver viajando.

E, a propósito, as reuniões do Rotary Club de Toowoomba acontecem todas as segundas‑feiras às 18 horas, as do Rotary Club de Pondicherry nas quartas‑feiras às 19h45, e as do Rotary Club de Recklinghausen nas segundas às 13 horas.

 

 

OPORTUNIDADES PARA O COMPANHEIRISMO

 

A maioria dos rotarianos são profissionais bem‑sucedidos porque percebem quando uma oportunidade aparece e não a deixam escapar. Uma vez por semana, em cada um dos Rotary Clubs, acontece a oportunidade de companheirismo rotário; mas nem todos os sócios estão alertas!

As reuniões ordinárias dos clubes são privilégios dos sócios do Rotary. Elas fornecem a oportunidade de se encontrar os companheiros rotarianos, de conhecer os visitantes que, por ventura, ainda não se tenha conhecido anteriormente e de compartilhar a sua amizade pessoal com outros sócios.

Os Rotary Clubs que possuem a reputação de serem “clubes amigáveis”, geralmente seguem alguns passos bem simples: primeiramente, os sócios são incentivados a sentarem em mesas ou cadeiras diferentes a cada semana. São também incentivados a se sentarem com um companheiro que ainda não conheçam e com os amigos deste. Ademais, os sócios convidam uns aos outros para se juntarem às suas mesas com este simples convite: “junte‑se a nós, temos um lugar vago”.

Deve‑se conversar com todos as pessoas à mesa, e não com aquela mais próxima, e não se deve ficar em silêncio durante as reuniões. E, por último, os rotarianos devem tentar conhecer todos os sócios do seu clube.

Quando estas recomendações são seguidas à risca pelos rotarianos, novas oportunidades de companheirismo acontecem a cada semana. Os rotarianos logo percebem que a amizade e o companheirismo são essenciais para o sucesso de cada Rotary Club.

 

 

CANTO NO CLUBE

 

Harry Ruggles foi o quinto indivíduo a compartilhar com Paul Harris as conversações que levaram à formação do primeiro Rotary Club em

Chicago, em 1905. Harry era um companheiro que gostava de cantar, e essa era uma atividade bastante popular na virada do século. Num dos primeiros encontros do recém‑formado grupo, Harry subiu numa cadeira e convidou os participantes para cantar com ele.

O canto em grupo logo tornou‑se um elemento tradicional nas reuniões do Rotary. O costume foi disseminado para muitos outros clubes nos Estados Unidos e ainda é uma atividade popular de companheirismo nas reuniões de clubes em diversos países como na Austrália, Japão, Nigéria, Nova Zelândia e Canadá. Alguns clubes cantam canções nacionais na abertura formal de cada reunião. No entanto, a prática do canto é rara nos Rotary Clubs da Europa, América do Sul e Ásia.

 

 

SÓCIO VETERANO

 

A categoria de sócio veterano é uma categoria especialmente reservada para aqueles sócios que tenham fornecido a prestação de seus serviços por um número substancial de anos e que é geralmente reconhecido como um símbolo de distinção do Rotary. Pertencer à categoria de sócio veterano significa que o rotariano possui um longo histórico de envolvimento pessoal nas atividades do clube.

Um rotariano torna‑se automaticamente sócio veterano ao completar 15 anos de prestação de serviços em um ou mais Rotary Clubs. A classificação de sócio veterano é também conferida ao rotariano com 10 ou mais anos de prestação de serviços que tenha completado 60 anos de idade, ou àquele que tenha cinco ou mais anos de prestação de serviços e que tenha feito 65 anos de idade. Um rotariano que tenha ocupado o cargo de governador de distrito é também elegível para a categoria de sócio veterano.

Um dos benefícios conferidos ao sócio veterano é o fato de que se se mudar para uma outra cidade, este sócio pode vir a ser convidado a associar‑se a um Rotary Club, mesmo que este não tenha nenhuma classificação disponível.

É importante ter em mente que “Sócio Veterano” não é uma classificação, mas sim um tipo de associação. Um sócio veterano sempre será identificado pela sua “classificação anterior”, que descreve sua área de atuação profissional ou de negócios.

 

 

SÓCIO HONORÁRIO

 

A categoria de sócio honorário é uma das quatro categorias de associação que uma pessoa pode vir a deter em um Rotary Club. Este tipo de associação é a mais alta distinção que um Rotary Club pode oferecer e é dada apenas em circunstâncias especiais, visando homenagear um sócio por seus excepcionais serviços prestados e pelas contribuições feitas à causa do Rotary e à sociedade. A categoria de sócio honorário é válida por um ano apenas, e deve ser renovada a cada ano.

Sócios honorários não têm o direito de propor candidatos a sócios do clube, não podem ocupar cargos de dirigentes e são dispensados da exigência de comparecer às reuniões do clube, assim como do pagamento da jóia de admissão.

Vários chefes de estado, exploradores, autores, músicos, astronautas e outras personalidades públicas já foram honradas com o convite de associação a um Rotary Club. Essas pessoas incluem, por exemplo, os reis Gustaf, da Suécia, George VI, da Inglaterra, Baduíno, da Bélgica e Hassan III, do Marrocos, assim como outras personalidades como Sir Winston Churchill, Albert Schweitzer, Charles Lindbergh, o compositor Jean Sibelius, o explorador Edmund Hillary, Thor Heyerdahl, Thomas Edison, Walt Disney, Bob Hope, Dr. Albert Sabin, a ex‑Primeira Ministra Britânica Margaret Thatcher e vários presidentes americanos. Sem a menor dúvida, todas estas pessoas escolhidas para sócios honorários fizeram muita coisa para fomentar os ideais do Rotary.

 

 

ASSOCIAÇÃO COM O ROTARY INTERNATIONAL

 

Se você perguntar para uma pessoa se ela é sócia do Rotary International, ela provavelmente ficará confusa e responderá: “mas é claro que sou sócio do Rotary International!”. Entretanto, neste caso específico, o confiante rotariano estaria tecnicamente errado. Nenhum rotariano pode ser sócio do Rotary International!

A explicação para esta aparente contradição é bastante simples. Os documentos estatutários do RI prevêem que a associação ao Rotary International é limitada aos Rotary Clubs. Mais de 27.000 clubes pertencem à organização que conhecemos como Rotary International!

Um Rotary Club é constituído de pessoas portadoras de caráter ilibado e de boa reputação comercial ou profissional e que desempenhem importantes funções executivas ou gerenciais. O rotariano pertence a um determinado clube; o clube, por sua vez, pertence ao Rotary International. Esta distinção técnica não é óbvia ou mesmo sabida pela maioria dos rotarianos e raramente cria qualquer tipo de problema ou dificuldades. Portanto, isto explica o motivo pelo qual o Conselho Diretor do Rotary International cria expectativas e estende privilégios aos Rotary Clubs e não aos seus sócios rotarianos.

Caso alguém lhe pergunte se você é sócio do Rotary International, o mais correto seria dizer que “não, eu sou sócio de um Rotary Club”. Porém, eu duvido que um estranho pudesse entender a diferença entre uma coisa e outra ou que, de fato, se importaria.

 

 

O GOVERNADOR DE DISTRITO

 

O Governador de Distrito do Rotary desempenha uma função muito importante dentro do mundo rotário. Ele é o único administrador do Rotary International em sua área geográfica, conhecida como o distrito rotário, que, em geral, agrega cerca de 45 clubes. Os governadores de distrito, que foram intensamente treinados durante a Assembléia Internacional, são responsáveis pelo “controle de qualidade” dos 27.000 Rotary Clubs de todo 0 mundo. São responsáveis, também, pela manutenção da quantidade de serviços prestados pelos clubes de seu distrito.

No entanto, o governador de distrito, que deve fazer uma visita oficial a cada um dos clubes de seu distrito, não assume jamais a função de “inspetor geral”. Ao contrário, suas visitas devem ser encaradas como uma ajuda amigável aos dirigentes dos clubes; como um aconselhamento útil visando fomentar o Objetivo do Rotary entre os clubes do seu distrito e como catalisador cujo papel é o de auxiliar a reforçar os programas do Rotary.

O Governador de Distrito é um rotariano com substancial experiência que, generosamente, devota um ano para o exercício da função de liderança. O Governador possui enorme sabedoria sobre os atuais programas do Rotary sendo implementados, seus objetivos, normas e metas. E uma pessoa de reconhecida atuação profissional, comunitária e rotária. Deve supervisio

nar a organização de novos clubes e fortalecer os já existentes. O Governador realiza uma série de funções específicas visando assegurar que a qualidade do Rotary será mantida dentro de seu distrito. É responsável, também, pela promoção e implementação de todos os programas e atividades do Presidente do Rotary International e do Conselho Diretor do RI. O Governador planeja e preside a conferência distrital e outros eventos especiais.

Cada Governador de Distrito exerce uma função muito importante nas operações mundiais do Rotary. O governador de distrito é realmente um exemplo de uma pessoa disposta a Dar de Si Antes De Pensar Em Si, que realiza um trabalho de amor.

 

 

A ASSEMBLÉIA INTERNACIONAL

 

A Assembléia Internacional é realizada anualmente durante os meses de fevereiro ou março, para preparar os governadores indicados de distrito do mundo inteiro para o cargo que assumirão em 1″ de julho. Acompanhados pelos respectivos cônjuges, os governadores entrantes têm a oportunidade de encontrar‑se com líderes rotarianos experientes por mais de uma semana de treinamento e sessões motivadoras. Na assembléia eles conhecem o rotariano que servirá como Presidente do RI durante o ano que serão governadores e tomam conhecimento do lema da organização para o ano vindouro, o qual servirá de fio condutor na elaboração das conferências distritais.

A primeira Assembléia Internacional foi realizada em Chicago, Illinois, nos EUA, em 1919. Assembléias posteriores tiveram lugar em Lake Placid (Nova York), em Boca Raton (na Flórida) e em Nashville (no Tennessee). Nos últimos ano sa Assembléia foi realizada em Anaheim (na Califórnia). Porém, não importa o lugar, a mensagem estampada no painel acima do salão das plenárias permanece sempre a mesma: “Entre para aprender . . . avante para servir”.

 

 

A ASSEMBLÉIA DISTRITAL

 

Tendo em vista a rotatividade que acontece anualmente na liderança rotária, são necessários esforços especiais para assegurar que os 27.000 líderes de clubes recebam treinamento apropriado para a realização daquelas tarefas que passarão a ser de sua responsabilidade. A Assembléia Distrital, realizada uma vez por ano, é o mais importante evento de treinamento de líderes em cada um dos mais de 500 distritos rotários espalhados pelo mundo.

A Assembléia Distrital oferece motivação, inspiração, informação rotária e novas idéias para os dirigentes, diretores e presidentes de importantes comissões distritais de cada clube. Alguns dos mais experientes líderes distritais conduzem discussões informativas a respeito de todas as fases da administração rotária e dos serviços de projeto. A Assembléia oferece a todos os seus participantes valiosas novas idéias para que estes tornem seus clubes mais eficientes e interessantes. Geralmente, entre oito e dez representantes de cada clube são convidados a participar desta sessão de treinamento.

Um outro ponto importante da assembléia distrital é a análise pelo governador de distrito entrante do lema para os programas e das ênfases do futuro presidente do RI. Os objetivos e metas dos distritos são também descritos e planos são elaborados para a implementação dos mesmos.

O sucesso de cada Rotary Club é freqüentemente determinado por sua total representação e por uma participação ativa na Assembléia Distrital anual.

 

A CONFERÊNCIA DISTRITAL

 

A maioria dos rotarianos nunca compareceu a uma conferência distrital do Rotary. Ainda não experimentaram uni dos mais agradáveis e recompensadores privilégios da associação com o Rotary.

A conferência distrital é direcionada a todos os sócios dos clubes e aos seus cônjuges, e não apenas aos dirigentes dos clubes e membros das comissões. O objetivo da Conferência Distrital é fomentar o companheirismo, oferecer a oportunidade de divertimento e de se escutar oradores inspirados e participar do debate daqueles assuntos que faz a associação com o Rotary valer a pena. Cada pessoa que comparecer a uma conferência distrital descobre que ser rotariano é ainda mais recompensador devido às novas experiências, visões internas e conhecimentos de outras pessoas durante a Conferência. Aqueles que comparecem a rima Conferência sempre comparecem às demais.

Cada um dos mais de 500 distritos do Rotary realiza anualmente uma conferência. Estes encontros são considerados tão importantes que o Presidente do Rotary International seleciona um rotariano como seu representante pessoal para comparecer e fazer uma palestra durante a conferência. Este programa sempre inclui diversas atrações especiais, debates interessantes e programas inspiradores.

Um dos benefícios inesperados do comparecimento à Conferência é a oportunidade de se aumentar o conhecimento com os seus companheiros de clube em um ambiente bastante informal. Amizades duradouras crescem com as horas de companheirismo compartilhadas durante a conferência distrital.

 

 

SEMINÁRIO DE TREINAMENTO PARA PRESIDENTES ELEITOS

 

O Regimento Interno do Rotary International estabelece que o governador indicado de cada distrito, em cooperação com o governador em exercício, deve planejare conduzir um seminário de treinamento para os presidentes entrantes de clube nos primeiros mesesdoano. O seminário, de aproximadamente dois a três dias, treina e motiva a liderança, preparando os futuros presidentes de clube para o cargo que assumirão no dia 1″ de julho. Dentre os tópicos discutidos estão o lema do RI para o ano vindouro, bem como os programas atuais e futuros do RI. Este encontro também destina‑se a revisar a atuação do distrito, planejar programas de clube e distrito e organizar outras atividades para o próximo ano. Preparar um orçamento, estabelecer umameta, gerenciar o tempo e novas idéias para reuniões de clube são apenas algumas das habilidades necessárias que os presidentes eleitos aprendem no seminário, o qual em algumas regiões do mundo tem caráter multidistrital.

 

 

INTERCÂMBIO DE JOVENS

 

O Intercâmbio de Jovens é um dos programas do Rotary mais populares de promoção da compreensão internacional e de desenvolvimento de duradouras amizades. O programa começou em 1927, com o Rotary Club de Nice, na França. Em 1939, um substancial programa de Intercâmbio de Jovens foi implementado entre a Califórnia e a América Latina. Desde então, o pro

grama foi ampliado para todo o mundo. Nos últimos anos, mais de 7.0011 jovens já participaram dos programas anuais de intercâmbio de jovens patrocinados pelo Rotary.

As experiências dos Intercâmbios de Jovens são compartilhadas não apenas pelos estudantes de 2º grau que participam do programa, mis, também, pelas famílias anfitriãs, pelos clubes patrocinadores, pelas escolas que os estudantes freqüentarão e pela comunidade em geral. Os participantes dos Intercâmbios de Jovens possibilitam que seus colegas estudantes nas suas escolas tenham excelentes oportunidades de aprendizado de outras culturas, seus idiomas, os costumes de outras localidades e a vida familiar em um outro pais.

O programa de Intercâmbio de Jovens, oferece aos jovens oportunidades interessantes e ricas experiências para ver outras partes do inundo. Os estudantes geralmente passam um ano acadêmico no exterior, embora alguns clubes e distritos patrocinem programas de apenas algumas semanas ou meses de duração.

Cerca de 36% dos estudantes participantes do Programa de Intercâmbio de Jovens são patrocinados ou enviados para clubes localizados nos Estados Unidos ou Canadá. Os países europeus são responsáveis por cerca de 40%, e 12% vêm da Austrália e da Nova Zelândia. Os clubes asiáticos patrocinam 5% dos estudantes e 7% dos participantes são oriundos dos países da América Latina. Mais de 70% de todos os distritos rotários participam das atividades de Intercâmbio de jovens.

O Intercâmbio de Jovens é um programa altamente recomendado para todos os Rotary Clubs como sendo uma atividade prática visando o fomento da compreensão e da boa vontade internacional.

 

 

NENHUM PRIVILÉGIO PESSOAL

 

freqüentemente amigos me perguntam se os rotarianos recebem qualquer benefício comercial pelo fato de serem sócios do Rotary Club. Perguntam também se os rotarianos têm direito a qualquer desconto especial ou serviço preferencial pelo simples fato de estarem tratando negócios com outros rotarianos.

A resposta é obviamente “não”. O “Manual de Procedimento” é bastante claro com relação à posição do RotarY quanto a isto. A norma, aprovada pelo Conselho Diretor em 1933, é de que em relações comerciais e profissionais “um rotariano não deve esperar, e, muito menos solicitar, qualquer tratamento especial ou vantagem de um outro companheiro rotariano que este normalmente não daria a qualquer outra pessoas com a qual mantenha relações comerciais ou profissionais”. Há 50 anos foi criado o conceito de que os verdadeiros amigos não solicitam favores especiais, e todo e qualquer abuso de confiança desta relação visando o lucro é estranho ao ideal do RotarY.

Por outro lado, não constitui uma infração das normas éticas do Rotary se novos ou maiores negócios resultarem naturalmente da amizade estabelecida na organização ou se desenvolverem no curso normal dos negócios, tanto fora quanto dentro do Rotary.

É importante terem mente que o objetivo inicial do Rotary é o fornecimento a cada um de seus sócios de uma excepcional oportunidade para servir ao próximo e de que a associação com o Rotary não deve ter por fim vantagens ou privilégios pessoais.

 

 

“CADA ROTARIANO UM EXEMPLO PARA A JUVENTUDE”

 

Nos diversos panfletos oficiais do Rotary International relacionados de alguma maneira com os programas pró‑juventude, um slogan especial aparece com freqüência: “Cada Rotariano Um Exemplo Para a Juventude”. Estas palavras foram adotadas em 1949 pelo Conselho Diretor do Rotary International como uma expressão do compromisso da organização assumido para com as crianças e jovens de todas as comunidades nas quais existir um Rotary Club. A prestação de serviços aos jovens têm sido, já há muito tempo, uma parte importante dos programas do Rotary.

Os projetos de serviços pró‑juventude podem ter as mais diversas características em diferentes partes do mundo. Os rotarianos patrocinam tropas de escoteiros e de bandeirantes, times de atletismo, centros para crianças portadoras de deficiências físicas, equipes de segurança na direção, acampamentos de verão, áreas de recreação, feiras comunitárias, creches e hospitais de crianças. Vários clubes fornecem aconselhamento especializado, estabelecem programas de empregos para os jovens e promovem a Prova Quádrupla. Em um número cada vez maior, projetos de prevenção contra o uso e abuso das drogas e do álcool estão sendo implementados por rotarianos.

Em todos estes casos, os rotarianos têm uma oportunidade para atuarem como modelos para jovens de ambos os sexos de sua comunidade. Uma pessoa aprende a prestar serviços seguindo o modelo de uma outra. À medida em que os jovens de sua comunidade se tornam líderes adultos, espera‑se que os mesmos possuirão capacidade e desejo para prestar serviços às futuras gerações de crianças e adolescentes.

O slogan, adotado pelo Rotary há já 40 anos é, ainda hoje, muito significativo. É um desafio inspirador fazer de “Cada Rotariano Um Exemplo Para a Juventude”.

 

 

SERVIÇOS À COMUNIDADE MUNDIAL

 

O Programa do Rotary de Serviços à Comunidade Mundial é implementado quando um clube ou distrito localizado em um determinado país presta assistência humanitária a um clube localizado em um outro país. Geralmente a ajuda vai para uma comunidade de um país em desenvolvimento onde um projeto do Rotary de melhora da condição e da qualidade de vida local esteja sendo implementado. O objetivo final de um projeto de Serviços à Comunidade Mundial é instilar a boa vontade e a compreensão entre os povos do mundo.

Uma maneira importante de se localizar um clube em outra parte do mundo que esteja necessitando de ajuda na implementação de um projeto útil é através da utilização da publicação “Intercâmbio de Projetos de Serviços à Comunidade Mundial” que contém dezenas de atividades localizadas em áreas em desenvolvimento. A relação é publicada pela Secretaria da Sede Mundial em Evanston e está disponível mediante solicitação à mesma. A relação de Projetos SCM apresenta um resumo do projeto, os custos estimados de sua implementação e fornece os nomes das pessoas para contato nos mesmos.

Aqueles clubes que necessitam de assistência, ou os que estejam à procura um projeto humanitário para ajudar na sua implementação, como, por exemplo, a construção de uma clínica, escola, hospital, poço artesiano para a comunidade, biblioteca ou uma outra atividade beneficente, podem consultar facilmente a relação dos Projetos de Serviços à Comunidade Mundial inscritos. Assim, a troca de informações fornece uma maneira prática de ligar recursos com necessidades.

Solicita‑se a cada Rotary Club que implemente um projeto SCM por ano. A relação de Projetos SCM é um instrumento fundamental para se localizar uma carência real, para se obter a descrição de um projeto ou para se ajudar a um clube localizado em uma área em desenvolvimento. Após o que, é só “colocar as mãos à obra” para terminar o projeto e, ao mesmo tempo, construir pontes de amizade e de compreensão mundial.

 

 

GRUPOS DE MULHERES ASSOCIADOS COM OS ROTARY CLUBS

 

Alguns de nossos mais significativos programas não são conduzidos por rotarianos. Isto é devido ao grande número de programas que são patrocinados pelas esposas e familiares dos sócios dos Rotary Clubs em todo o mundo.

Os grupos de mulheres ‑ freqüentemente chamados de Mulheres do Rotary Casas da Amizade, “As Senhoras do Rotary”, Esposas do Rotary ou, ainda, mais formalmente, A Engrenagem Interna ‑ conduz, a cada ano, nas suas respectivas comunidades, centenas de projetos de prestação de serviços humanitários. Os grupos de mulheres possibilitam a construção de escolas, clínicas para recém‑nascidos, centros de distribuição de comida e vestimenta, hospitais, orfanatos, casas de repouso para os idosos e outras atividades de serviços, e, freqüentemente, prestam serviços voluntários em bases diárias na operacionalização de creches para os filhos das mulheres que trabalham fora e fornecem apoio necessários para os participantes dos Intercâmbios de Jovens. Geralmente, os grupos de mulheres complementam os programas de prestação de serviços implementados pelos Rotary Clubs locais. Vários dos grupos de mulheres participam ativamente tanto dos projetos locais como dos internacionais de prestação de serviços.

 

 

PROGRAMA DE ALFABETIZAÇÃO FUNCIONAL

 

Estima‑se que um quarto da população mundial, cerca de um bilhão de pessoas, é analfabeta. O analfabetismo de adultos e crianças constitui enorme preocupação tanto nos países desenvolvidos como nos em desenvolvimento. O número de adultos analfabetos aumenta em 25 milhões a cada ano! Cerca de um quarto de toda a população do mundo é considerada funcionalmente analfabeta.

A tragédia maior do analfabetismo está naquelas pessoas que, por serem incapazes de ler, perdem a liberdade e se tornam vítimas de manipulação inescrupulosa, pobreza e perda dos sentimentos humanos que dão sentido à vida. O analfabetismo é humilhante. É um forte obstáculo para o desenvolvimento econômico, político, social e pessoal. É uma barreira para a compreensão, cooperação e paz mundial.

A comissão original do Programa “Saúde, Fome e Humanidade” (3‑H) do Rotary considerou, em 1978, a alfabetização funcional como um programa prioritário da organização. Um dos primeiros subsídios 3‑H deu origem à publicação de uma excepcional fonte de recursos com relação às questões mundiais sobre a alfabetização. A publicação financiada pelo Rotary, “O Direito de Ler”, foi editado pelo rotariano Eve Malmquist, ex‑governador do distrito de Linkoping, na Suécia, e reconhecida autoridade mundial em leitura e pesquisa educacional. O livro foi o pioneiro de um importante programa do Rotary com ênfase na promoção do extermínio ao analfabetismo.

Em 1985 o Conselho Diretor declarou que todos os Rotary Clubs do mundo deveriam dar, por um período de dez anos, ênfase à alfabetização. Em 1992, o Conselho prorrogou a ênfase até o ano 2000. Vários Rotary Clubs conduzem pesquisas avaliando as necessidades de alfabetização em suas comunidades. Outros fornecem livros didáticos. Alguns estabelecem e financiam clínicas de leitura e de idiomas, fornecem assistência de tutores voluntários e adquirem materiais de leitura. Os rotarianos podem desempenhar uma função importante nas suas comunidades e países em desenvolvimento pela promoção de projetos que, através do fim ao analfabetismo, abram novas oportunidades à população.

 

 

PREOCUPAÇÃO COM OS IDOSOS

 

Uma das atuais áreas de especial ênfase dos Rotary Clubs está direcionada à concessão de “novas oportunidades para os idosos”. Em 1990, o Conselho Diretor do Rotary International solicitou a todos os rotarianos que procurassem identificar projetos de prestação de serviços aos cidadãos de terceira idade, que tivessem por finalidade as atividades envolvendo mais de uma geração e a integração dos idosos na sociedade e no mercado de trabalho. No ano seguinte, o Conselho Diretor solicitou a implementação de um projeto que tivesse por finalidade a prestação de serviços “pelos” idosos “para” os idosos.

Com o aumento substancial da proporção de idosos na população atual, verificou‑se um aumento proporcional nas necessidades de atenção especial a ser dedicada aos mesmos. A medida em que os cidadãos envelhecem, lhes é mais e mais importante manter, tanto quanto possível, sua independência e controle de suas próprias vidas.

Vários Rotary Clubs estão procurando maneiras de prestar serviços aos cidadãos de terceira idade de suas comunidades que enfrentam problemas advindos da deterioração de sua saúde, solidão, malnutrição, dificuldades de transporte, impossibilidade de desempenhar atividades corriqueiras, perda de laços familiares, diminuição de oportunidades de praticarem atividades recreativas, moradia inadequada, assim como carência de informações a respeito das agências de assistência social e de emergência. Alguns clubes iniciaram, através da organização e da divulgação das informações que lhes são disponíveis em seus quadros sociais, um importante projeto de prestação de serviços comunitários visando auxiliar os idosos no planejamento de suas aposentadorias e no ajuste às suas novas realidades. Já outros clubes desenvolveram programas de adoção temporária de avós e outras atividades que envolvem várias gerações, permitindo, assim, que os idosos utilizem suas experiências e conhecimentos no auxílio à juventude. Rotarianos podem, freqüentemente, ajudar aos idosos naquelas tarefas que estes não possuem mais condições de realizar por si próprios.

A maior carência dos cidadãos de terceira idade é, muito freqüentemente, a ausência de uma verdadeira expressão de carinho e preocupação por parte de seus amigos. Todos os rotarianos deveriam considerar seriamente como eles e seus clubes podem participar ativamente nos programas direcionados aos idosos. É uma das áreas de serviços à comunidade em que existe a crescente possibilidade de que um de nós se encontre, algum dia, do lado dos necessitados.

 

 

CONVENÇÕES INTERNACIONAIS

 

A cada ano, nos meses de maio ou junho, o Rotary International realiza sua convenção mundial, “cujo objetivo é estimular, inspirar e atualizar a todos os rotarianos a nível internacional”. A convenção, que não pode ser realizada no mesmo país por mais de dois anos consecutivos, é um encontro anual visando a condução dos negócios de interesse da organização. O processo de planejamento da convenção geralmente começa com quatro ou cinco anos de antecedência.

As próximas convenções do RI acontecerão em Calgary, no Canadá, em 1996, em Glasgow, na Escócia, em 1997, e em Indianápolis, Indiana, nos EUA, em 1998. O Conselho Diretor do RI estabelece uma região geográfica específica e convida as cidades a oferecerem propostas para hospedarem a convenção. As convenções são eventos realmente internacionais aos quais comparece um número estimado de 15 a 20 mil pessoas, entre rotarianos e convidados. Todos os sócios deveriam comparecer a uma convenção do Rotary International para descobrir quão internacional o Rotary realmente é. É uma experiência que jamais será esquecida.

 

 

CONFERÊNCIAS REGIONAIS

 

Periodicamente, os rotarianos podem ler os panfletos anunciando a realização de uma conferência regional a ter lugar em algum país do mundo. Estas conferências são bastante semelhantes à convenção anual do Rotary International, embora geralmente menores, com menor comparecimento e tendo por fim alcançar umnúmero de rotarianos e seus convidados em uma região que se encontra a uma distância considerável do local de realização da Convenção Internacional.

O objetivo da conferência regional é o desenvolvimento e a promoção de novas amizades, compreensão e boa vontade entre os seus participantes, bem como o de fornecer um fórum para a discussão e troca de idéias a respeito do Rotary e de seus assuntos internacionais que são relacionados às áreas geográficas em questão.

As conferências regionais geralmente atraem duas ou três mil pessoas e, devido ao fato de serem consideradas eventos especiais do calendário rotário, não são realizadas sempre na mesma época do ano. As conferências são realizadas periodicamente, de acordo com os interesses específicos dos líderes rotários de determinadas regiões. Inúmeras das tarefas operacionais relacionadas às conferências regionais são realizadas pela Secretaria do RI.

Embora nenhum esforço especial seja feito para promover o comparecimento dos rotarianos de fora da região específica, os sócios de todas as partes do mundo são sempre bem‑vindos às mesmas. O comparecimento a uma conferência regional realizada em uma outra parte do planeta é uma experiência agradável, recompensadora e fascinante. Elas fornecem a possibilidade de se enxergar um outro lado do companheirismo internacional do Rotary.

 

 

COMISSÕES INTERPAÍSES

 

Em 1931, os rotarianos franceses e alemães organizaram um “pequeno grupo”, cujo objetivo era o de fomentar melhores relações entre os povos das duas nações vizinhas. Desde então, rotarianos em toda a Europa têm

liderado as iniciativas para a criação de Comissões Interpaíses visando incentivar os contatos entre os rotarianos e os Rotary Clubs de diferentes nações.

As Comissões Interpaíses já foram estabelecidas em várias partes do mundo com o objetivo de promover não só a amizade, mas, também, o patrocínio conjunto de projetos de Serviços à Comunidade Mundial, de intercâmbios e de outras atividades que visem melhorar as relações entre diferentes nações. Freqüentemente, as Comissões Interpaíses patrocinam visitas de rotarianos e de seus familiares a um outro país e organizam a realização de encontros e conferências intercidades.

Em alguns casos, as Comissões Interpaíses são criadas entre países que são separados por grandes distâncias físicas e visam incentivar a criação da boa vontade e compreensão entre os mesmos. As Comissões Interpaíses coordenam seus esforços junto aos governadores de distrito de seus países e possuem um caráter consultivo frente aos clubes e distritos.

As Comissões Interpaíses fornecem uma maneira adicional para que os Rotary Clubs e os rotarianos exerçam suas responsabilidades frente à Quarta Avenida de Serviços que tem por fim a obtenção da compreensão internacional, da boa vontade e da paz no mundo.

 

 

RIBI

A estrutura do Rotary International na Grã‑Bretanha e Irlanda (RIBI) é um capítulo interessante de nossa história. Em 1914, após a expansão do Rotary para o outro lado do Atlântico, mais especificamente para a Grã-Bretanha e Irlanda, foi fundada a Associação Britânica de Rotary Clubs, como parte da Associação Internacional de Rotary Clubs. Durante a Primeira Grande Guerra, houve muito pouco contato entre os clubes internacionais. No entanto, a associação britânica manteve o pequeno número de Rotary Clubs unido na Grã‑Bretanha, Irlanda e em algumas outras comunidades da Europa.

Após a guerra, em 1922, foi adotado um novo Estatuto do Rotary International, que estabelecia o princípio de que toda a vez que um determinado país tivesse mais de 25 Rotary Clubs passaria a ter direito a se tornar uma “unidade territorial” e, como tal, poderia ter um representante no Conselho Diretor do RI e deter outros poderes específicos. Os clubes da GrãBretanha e Irlanda imediatamente peticionaram para se tornar uma “unidade territorial”, tendo seu pedido concedido. Nenhum outro grupo no mundo fez tal pedido ou recebeu esta classificação.

Em 1927, o Rotary International extinguiu o conceito de unidade territorial e organizou os Rotary Clubs de acordo com suas “áreas” no mundo. Entretanto, todos os “direitos, privilégios e poderes das unidades territoriais existentes” foram preservados e perpetuados. Assim, uma vez que a “RIBI” era a única unidade territorial, ela continuou a funcionar independentemente do Rotary International, sujeita, apenas, a determinadas aprovações conforme os Estatutos do RI.

A forma administrativa da RIBI é apropriada apenas para a Grã‑Bretanha e Irlanda devido à sua geografia, idioma falado, tradições e costumes. Devido a esta relação histórica, a RIBI mantém uma estrutura administrativa distinta daquela de todos os outros Rotary Clubs e distritos no mundo, embora seja um membro como outro qualquer do Rotary International.

 

 

CONSELHO DE LEGISLAÇÃO

 

Nocomeço do Rotary, qualquer alteração ao Regimento Interno ou aos Estatutos do RI tinha que ser proposta e votada durante a realização da convenção internacional. A medida em que o comparecimento à convenção aumentou e a realização de debates abertos ficou mais e mais difícil, foi criado em 1934 um Conselho de Legislação como um grupo consultivo que tinha por objetivo analisar e debater as propostas de legislação antes que estas fossem votadas pela convenção.

Finalmente, na Convenção Internacional de 1970, realizada em Atlanta, foi decidido que o Conselho de Legislação passaria a ser o órgão legislativo ou parlamentar do Rotary. O Conselho é composto de um delegado de cada distrito rotário, assim como de inúmeros membros ex‑officio. Foi, também, estabelecido que o Conselho se reuniria a cada três anos em uma ocasião diferente da convenção do Rotary.

O Conselho, que se reunirá da próxima vez em 1998, é responsável por analisar e julgar todas as “propostas de alteração”, que são sugestões de mudanças no Regimento Interno e nos Estatutos, assim como todas as “resoluções”, que são alterações sugeridas às normas e procedimentos do Rotary. As alterações podem ser sugeridas por qualquer clube ou distrito do Rotary, assim como pelo Conselho Diretor do RI. As ações do Conselho de Legislação são sujeitas à ratificação de todos os Rotary Clubs do mundo antes de serem introduzidas. Caso um total de 10% dos clubes rejeite uma proposta de alteração apresentada pelo Conselho de Legislação, a mesma não será adotada e será submetida durante a próxima convenção para consideração final.

O Conselho de Legislação possibilita aos sócios do Rotary um processo democrático de implementação de alterações legislativas na operacionalização do Rotary International.

 

 

GRUPOS PROFISSIONAIS E RECREATIVOS DO ROTARY

 

Os rotarianos têm passatempos extremamente diversos; entre eles, coleção de selos, degustação de vinhos, automóveis antigos e computadores. Ainda assim, entre os mais de um milhão de rotarianos no mundo todo, aficcionados em radioamadorismo, alpinismo ou xadrez podem encontrar outros rotarianos com os mesmos interesses. Porém os membros dos grupos recreativos compartilham mais do que seus interesses comuns, como, por exemplo, mergulho, esperanto, observação de pássaros ou egiptologia; eles compartilham também interesse no Rotary, em companheirismo, em prestação de serviços e na promoção da compreensão mundial. O grupo de esquiadores costuma doar a renda proveniente de seus eventos à Fundação Rotária, o grupo de veículos recreativos combina seus passeios com visitas a idosos e o grupo de aviadores ajuda a transportar equipes médicas e suprimentos a áreas de desastres.

Os rotarianos também reúnem‑se em torno de suas profissões comuns. Há grupos de administração hospitalar, finanças ‑ transações bancárias, tecnologia do processo de laminação e muitos outros, que dedicam‑se à prestação de Serviços Profissionais. Os membros trocam informações técnicas relacionadas às suas respectivas áreas profissionais e procuram oportunidades para utilizar seus conhecimentos em prol de comunidades distantes e das suas próprias. Por exemplo, o grupo de oftalmologia organizou um seminário sobre cirurgia ocular em países em desenvolvimento. O grupo de mediação/arbitragem ajudou a enviar um juiz do Tribunal de Apelação dos Estados Unidos à Irlanda do Norte, para ajudar nas negociações na região.

 

 

INTERCÂMBIO ROTÁRIO DA AMIZADE

 

Um interessante programa de companheirismo do Rotary é o Intercâmbio Rotário da Amizade. Esta atividade, implementada originalmente, em 1981, pela Comissão de Novos Horizontes tem por finalidade incentivar os rotarianos e seus cônjuges a visitarem as famílias de rotarianos de outras partes do mundo. Pode ser conduzida a nível de clube ou de distrito.

A intenção é fazer com que vários casais de rotarianos viajem para um outro país como parte de um Intercâmbio Rotário da Amizade. Posteriormente, a hospitalidade é retribuída quando o casal que foi originalmente anfitrião passa a ser o visitante. Após um bem sucedido programa piloto, o Intercâmbio Rotário da Amizade tornou‑se um programa permanente do Rotary.

O programa de Intercâmbio Rotário da Amizade é freqüentemente comparado ao programa da Fundação Rotária de Intercâmbio de Grupos de Estudos, com a diferença de que o primeiro envolve casais de rotarianos que pagam por suas próprias despesas de viagem a um outro país. Através deste programa, são abertas portas de amizade que só o podem ser através do Rotary.

Os rotarianos que estão à procura de uma maneira diferente de passar suas férias e que desejam uma experiência diferente devem procurar ficar mais familiarizados com o programa de Intercâmbio Rotário da Amizade. Algumas experiências rotárias únicas estão à sua espera!

 

 

PRÊMIOS ROTÁRIOS DE LIDERANÇA JUVENIL

 

Todos os verões, milhares de jovens são selecionados para participar dos acampamentos ou seminários de liderança que são patrocinados pelo Rotary e que acontecem nos Estados Unidos, na Austrália, no Canadá, na índia, na França, na Argentina, na Coréia do Sul e em diversos outros países. Em uma atmosfera descontraída e em contato com a natureza, entre 50 e 70 excepcionais jovens, de ambos os sexos, passam uma semana em um desafiante ambiente de debates, de realização de inspiradores discursos, de treinamento de liderança e de atividades sociais que fazem parte do fomento do desenvolvimento pessoal, das habilidades de liderança e da cidadania consciente. Esta atividade é oficialmente conhecida como programa Prêmios Rotários de Liderança juvenil, embora seja também conhecida como Trampolim para a Liderança, Seminário dos jovens Líderes, Conferência de Jovens e outros nomes.

O programa do Prêmios Rotários de Liderança juvenil teve início na Austrália, em 1959, quando jovens de toda a província de Queensland foram selecionados para se encontrarem com a Princesa Alexandra, prima mais jovem da Rainha Elizabeth II. Os rotarianos de Brisbaine, que anfitrionaram os participantes, ficaram impressionados com as qualidades demonstradas pelos jovens líderes. Foi então decidido que jovens líderes deveriam se reunir uma vez por ano para uma semana de atividades culturais, sociais e educacionais. O programa se expandiu gradualmente para todos os demais distritos rotários da Austrália e da Nova Zelândia. Em 1971, o Conselho Diretor do RI adotou o programa Prêmios Rotários de Liderança juvenil como um programa oficial do Rotary International.

 

 

NÚCLEOS ROTARY DE DESENVOLVIMENTO COMUNITÁRIO

 

Um dos mais novos programas da enorme variedade de projetos e atividades de prestação de serviços do Rotary é intitulado Núcleos Rotary de Desenvolvimento Comunitário. Esta nova forma de serviços de auto‑ajuda foi implementada, em 1986, pelo Presidente M.A.T. Caparas, como uma maneira de se melhorar a qualidade de vida nas vilas, nas vizinhanças e nas comunidades. Freqüentemente, existe uma abundância de mão‑de‑obra disponível, mas nenhuma maneira de se mobilizar esta força de trabalho em prol da melhoria dos projetos comunitários.

Os Núcleos Rotary de Desenvolvimento Comunitário, ou Núcleos Rotary de Trabalhos Comunitário, como são chamados nos países desenvolvidos, são constituídos por não‑rotarianos, financiados pelos Rotary Clubs, e cujo objetivo é o de ajudar as suas comunidades através da condução de um trabalho específico de melhoria das mesmas. Os rotarianos fornecem à própria comunidade a orientação, incentivo, estrutura organizacional e alguns dos equipamentos necessários. Conseqüentemente, os Núcleos Rotary de Desenvolvimento Comunitário fornecem aos rotarianos uma nova maneira de prover as comunidades com uma ajuda bastante necessitada.

Os Núcleos Rotary de Trabalhos Comunitários têm sido principalmente organizados nos guetos das grandes cidades, onde um grupo de pessoas necessita da experiência organizacional e gerencial dos rotarianos para implementar indispensáveis projetos comunitários de auto‑ajuda.

O programa de Núcleos Rotary de Desenvolvimento Comunitário oferece uma dimensão totalmente nova ao antigo conceito de prestação de serviços que tem por fim a melhoria da qualidade de vida.

 

 

VOLUNTÁRIOS DO ROTARY

 

Poderá encontrá‑los trabalhando em um campo de refugiados, clínicas remotas, hospitais improvisados e povoados primitivos. Muitos são médicos ou dentistas, porém os Voluntários do Rotary possuem uma formação bastante diversa.

O programa Voluntários do Rotary é aberto a rotarianos, rotaractianos, ex‑participantes de programas da Fundação e até mesmo não-rotarianos podem participar. Aqueles que desejam prestar serviços no exterior devem preencher um Formulário de Registro para Voluntários que pode ser obtido através do escritório sucursal local. Devem também receber um convite do Rotary Club anfitrião onde desejam atuar. Há várias maneiras de encontrar oportunidades para prestar serviços voluntários.

O programa Voluntários do Rotary está ligado à avenida dos Serviços Profissionais a nível de clube e de distrito. Participantes devem dispor‑se a servir pelo período mínimo de um mês. A Fundação Rotária ocasionalmente fornece fundos para cobrir as despesas de transporte aéreo e relativas à estadia dos voluntários. Estes não recebem salário ou honorários pelos serviços. Voluntários do Rotary já serviram em aproximadamente 100 países, colaborando com seu tempo e conhecimentos especializados.

 

 

 

 

 

I NTERACT

 

O Interact, um dos programas do Rotary direcionados aos jovens, foi iniciado pelo Conselho Diretor em 1962. O primeiro Interact Club foi constituído pelo Rotary Club de Melbourne, na Flórida, nos EUA. Os Interact Clubs fornecem oportunidades para que garotos e garotas em idade escolar trabalhem juntos na prestação de serviços e na obtenção de compreensão e amizade internacionais. O termo Interact é derivado do prefixo inglês “inter”, de “internacional”, e da palavra “act”, que significa “agir” ou “ação” em inglês. Cada Interact Club deve serpatrocinado e supervisionado por um Rotary Club e deve implementar projetosanuais de prestação de serviços nas escolas, comunidade e no mundo.

Existem hoje mais de 3.300 Interact Clubs, com aproximadamente 75.000 sócios, espalhados em 74 países. Os “interactianos” desenvolvem habilidades de liderança e adquirem experiência prática na condução de projetos de prestação de serviços, aprendendo, assim, que “A Verdadeira Felicidade Está Em Ajudar Ao Próximo”. Um dos principais objetivos do Interact é o de dar oportunidade aos jovens para que promovam maior compreensão e boa vontade entre os jovens de todo o mundo.

 

 

ROTARACT

 

Após o sucesso alcançado no começo dos anos 60 pelos Interact Clubs direcionados aos jovens em idade escolar, o Conselho Diretor do RI criou, em 1968, o Rotaract. Este novo projeto foi implementado visando promover a responsabilidade cívica e o potencial de liderança em clubes de jovens de ambos os sexos, entre 18 e 30 anos de idade. O primeiro Rotaract Club foi constituído pelo Rotary Club de Charlotte North, localizado na Carolina do Norte. Em 1995, já há mais de 113.500 sócios espalhados entre mais de 5.000 Rotaract Clubs, distribuídos em 114 países.

Os Rotaract Clubs enfatizam a importância da responsabilidade individual como base para o sucesso pessoal e envolvimento comunitário. Cada clube patrocina um projeto anual que tem por fim a promoção de altos padrões de ética nos negócios e na vida profissional. O Rotaract fornece também oportunidades direcionadas a uma maior compreensão e boa vontade internacional. Os rotaractianos participam de inúmeras atividades sociais, assim como de programas para a melhoria de suas comunidades. Um Rotaract Club só pode existir se tiver o apoio, a orientação e o aconselhamento constante de um Rotary Club. Os programas do Rotaract são implementados tendo sempre emmente o lema: “Compreensão Através da Prestação de Serviços”.

 

 

NOSSO CARRO ALEGÓRICO NA PARADA DAS ROSAS

 

O carro alegórico do Rotary International na Parada das Rosas é, sem sombra de dúvida, o maior esforço de relações públicas dos Rotary Clubs dos Estados Unidos e Canadá. Desde 1924, o Rotary já participou com um carro alegórico de 18 paradas, sendo que participou de todas as realizadas a partir de 1981. O famoso desfile, realizadoem Pasadena, na Califórnia, EUA, é visto, através da televisão, poraproximadamente 125 milhões de pessoas em todo o mundo.

O financiamento para a construção do carro alegórico do Rotary é oferecido por Rotary Clubs e rotarianos dos Estados Unidos e Canadá. Os custos associados com o planejamento, a construção e trabalho de cobrir todo o carro alegórico com rosas está calculado em um mínimo de US$120.000,00.

Uma comissão multidistrital do sul da Califórnia coordena o planejamento do carro alegórico do Rotary e fornece centenasde horas de prestação de serviços voluntários. O carro alegórico deve tratar do tema especificamente escolhido para o desfile daquele ano, que, geralmente, coincide com um dos programas de prestação de serviços do Rotary International.

A cada dia primeiro de um ano novo, os rotarianos se orgulham de ver seu atraente carro alegórico e percebem que participaram da construção do mesmo através da doação de um ou dois dólares para possibilitar este belo projeto de relações públicas.

 

 

MAIS DADOS PIONEIROS DO ROTARY

 

  • O Rotary ofereceu o seu primeiro “Prêmio por Realizações Significativas” no ano de 1969 para aqueles clubes com excepcionais projetos de prestação de serviços comunitários e internacionais.
  • O primeiro Interact Club do Rotary foi constituído em 1962, na cidade de Melbourne, na Flórida, EUA, e tornou‑se pioneiro de quase 7.200 outros Interact Clubs localizados em mais de 88 países.
  • A primeira convenção do Rotary realizada no Hemisfério Sul aconteceu na cidade do Rio de janeiro, no Brasil, em 1948.
  • O Rotary obteve o direito autoral sobre a “Prova Quádrupla” em 1954, quando seu autor, Herbert Taylor, tornou‑se presidente do Rotary International.
  • O primeiro projeto de Serviços à Comunidade foi realizado em 1907 quando os rotarianos de Chicago organizaram uma campanha para a instalação de um “banheiro público” na prefeitura.
  • O primeiro milhão de dólares em contribuições à Fundação Rotária em um único ano foi alcançado em 1964‑65. Atualmente, mais de US$45 milhões são doados anualmente à Fundação Rotária. As contribuições feitas desde 1917 já somam quase US$750 milhões.
  • A primeira solicitação de ajuda feita pelo Rotary às vítimas de um desastre foi em 1913 quando foi arrecadada a quantia de US$25.000 para as vítimas das enchentes nos Estados de Ohio e Indiana.
  • O lema do Rotary “Mais se Beneficia Quem Melhor Serve” foi usado pela primeira vez na primeira Convenção do Rotary International, realizada em 1910 na cidade de Chicago, EUA.

 

 

SECRETÁRIO GERAL DO RI

 

A rotina. diária de operacionalização da Secretaria do Rotary International está sob o comando de um Secretário Geral, o mais alto cargo profissional do Rotary. Embora o Secretário Geral esteja subordinado ao Conselho Diretor do RI e ao seu Presidente, ele é responsável pela administração direta de quase 500 funcionários que trabalham na Sede Mundial.

O Secretário Geral atua como secretário do Conselho Diretor do RI e é, também, o Diretor Executivo e Financeiro da Fundação Rotária, sob a supervisão direta dos Curadores da mesma. Ademais, o Secretário Geral atua como secretário de todas as Comissões do Rotary, bem como do Conselho de Legislação, conferências regionais e da Convenção Anual do Rotary.

O Secretário Geral é nomeado pelo Conselho Diretor para um mandato não superior a cinco anos, sendo, porém, geralmente reeleito para o cargo. Desde 1910, o Rotary teve 7 Secretários Gerais. O primeiro Secretário Geral, Chesley Perry, atuou nesta função de 1910 a 1942. Os Secretários seguintes foram: Phil Lovejoy, de 1942 a 1952, George Means, de 1953 a 1972, Harry Stewart, de 1972 a 1978, Herb Pigman, de 1979 a 1986, Philip Lindsey, de 1986 a 1990 e Spencer Robinson Jr., de 1990 a 1993. Herb Pigman foi reeleito em 1993 e será sucedido por Geoffrey Large em 1995.

Em toda a história do Rotary, a influência pessoal e as habilidades administrativas de nossos secretários gerais contribuíram significativamente para o curso adotado pelos nossos programas e atividades.

 

 

A NOMEAÇÃO DE UM PRESIDENTE

 

A cada ano, um rotariano com um notável currículo rotário é escolhido para ocupar o cargo de presidente do Rotary International. O processo de eleição é iniciado dois anos antes de sua posse, quando são eleitos os 15 membros da Comissão de Indicação para Presidente. Esta comissão é composta de representantes de diferentes regiões do mundo. Para fazer parte de uma Comissão de Indicação para Presidente, o candidato rotariano já deve ter atuado como Diretor do RI, deve ter substancial experiência e deve conhecer os líderes rotários de todo o mundo.

A Comissão de Indicação pode considerar os nomes de todos os ex-diretores do RI para candidatos ao cargo de Presidente da organização. Entretanto, os membros da Comissão de Indicação e atuais Diretores não são elegíveis. Qualquer Rotary Club pode propor o nome de um ex‑diretor para consideração pela Comissão de Indicação.

A Comissão se reúne em setembro de cada ano para eleger o rotariano que ocupará o cargo de Presidente Indicado. O nome do candidato é anunciado para todos os Rotary Clubs. Qualquer clube pode apresentar, até o dia 1° de dezembro, a candidatura de outro candidato que deverá ser ratificada por pelo menos 1% de todos os Rotary Clubs do mundo (cerca de 260 clubes). Caso isto aconteça, uma eleição é realizada através do correio. Caso não haja nenhum outro candidato para o cargo de Presidente Indicado, o candidato escolhido pela Comissão de Indicação é declarado como sendo o Presidente Indicado. A partir deste momento, o candidato a Presidente do RI, juntamente com sua esposa, passará dois anos servindo ao Rotary; o primeiro deles se preparando para a função e outro no exercício efetivo da presidência do Rotary International.

 

 

O LEMA ANUAL DO ROTARY

 

Em 1955, o então presidente A.Z. Baker anunciou a adoção do lema “Desenvolvamos Nossos Recursos”, que passaria a ser a ênfase do programa do Rotary. Desde então, cada subseqüente presidente adotou um novo lema para seu respectivo ano. O lema mais curto foi adotado em 1961‑62, quando Joseph Abey adotou “Agir”. Outros lemas com apenas uma palavra foram adotados em 1958‑59 por Charles Tennent (“Servir”) e em 1968‑69 por Kiyoshi Togasaki (“Participem!”).

Em 1963‑64, Carl Miller tinha um lema temporal ao sugerir “Linhas de Orientação para Rotary na Era Espacial”. Outros lemas “temporais” foram adotados em 1980‑81 quando Rolf Klãrich criou “Encontremos Tempo para Servir” e em 1973‑74 quando William Carter adotou “É Hora de Agir”. Dois outros lemas têm uma similaridade com anúncios comerciais: “Um Mundo Melhor Através do Rotary” (Richard Evans em 1966‑67) e “Estenda a Sua Mão. . .” (Clem Renouf em 1978‑79). A área das “construções” têm servido como ótima metáfora. Harold Thomas, em 1959‑60, incitou os rotarianos com seu lema “Construam Pontes de Amizade”; William Walk, em 1970‑71, adotou “Transponham as Barreiras” e em 1982‑83, Hiroji Musaka declarou que “A Humanidade É uma Só ‑ Criemos Pontes de Amizade em Todo o Mundo”.

Um enfoque mundial foi dado por Stan McCaffrey em 1981‑82 com a mensagem de “Compreensão e Paz Mundial Através do Rotary” e, novamente, em 1984‑85, Carlos Canseco incitou os rotarianos com o lema “Descubra um Novo Mundo de Serviço”. Em outros anos, a pessoa humana foi enfatizada, como em 1960‑61, com “Vocês São Rotary”, de Edd McLaughlin; em 1971‑72, com “A Boa Vontade Começa Conosco”, de Ernst Breitholtz e, em 1985‑86, Ed Cadman escolheu o lema “Você É a Chave”. Freqüentemente, o lema convida os rotarianos a um maior envolvimento em seus próprios clubes, como em “Compartilhemos o Rotary ‑Sirvamos Nossos Semelhantes”, escolhido por Bill Skelton em 1983‑84 ou “Tornem Eficiente a Sua Afiliação Rotária”, de Luther Hodges, em 1967‑68. Mas, quer você envoque “Revisar e Renovar”, “Examinemos Novamente”, “Que o Ideal de Servir Ilumine o Caminho” ou “Dignificar o Ser Humano” está bem claro que o Presidente do Rotary fornece aos rotarianos uma importante ênfase anual de programa. Em 1986‑87 o então Presidente M.A.T. Caparas selecionou o inspirador lema de “Rotary Leva Esperança”.

Charles Keller em 1987‑88 viu os “Rotarianos: Unidos Para Servir, Dedicados à Paz”, enquanto que Royce Abbey pediu aos seus companheiros em 1988‑89 para que cada rotariano “Dê Vida ao Rotary: Viva‑o Intensamente”. Em 1989‑90, Hugh Archer adotou “Desfrute o Rotary!” e Paulo Costa, 1990‑91, pediu que cada rotariano “Valorize Rotary Com Fé e Entusiasmo”. Já o meu predecessor, Raja Saboo, 1991‑92, quis que cada rotariano “Olhe Além de Si Mesmo”. Em 1992‑93 lembrei aos rotarianos que “A Verdadeira Felicidade Está Em Ajudar Ao Próximo”. Em 1993‑94, Bob Barth sugeriu que cada um de nós “Acredite no Que Faz, Faça Aquilo em Que Acredita”. Em 1994‑95 Bill Huntley estimulou os rotarianos a agirem de acordo com o lema “Seja Amigo”. Durante 1995‑96, Herb Brown pede a cada rotariano que “Atue com Integridade, Sirva com Amor e Trabalhe pela Paz”.

 

 

PROIBIÇÃO DE REALIZAÇÃO DE CAMPANHA

 

Uma das interessantes normas do Rotary International estabelece que “nenhum rotariano deve se engajar em campanha política, distribuição de material de campanha ou solicitação de votos visando sua eleição para qualquer cargo no Rotary International”. Esta regra inclui a candidatura à eleição para ocupar o cargo de governador de distrito, de diretor do Rotary International, de presidente do RI e de membro das várias comissões. A norma adotada pelo Rotary proíbe a distribuição de brochuras, literatura ou o envio de cartas pelo candidato ou por qualquer pessoa que esteja fazendo campanha em seu nome.

Após o candidato rotariano ter indicado sua intenção de concorrer a qualquer cargo eletivo no Rotary, referido candidato não deve mais fazer qualquer palestra, comparecer a eventos ou fazer publicidade, caso estas atividades possam vir a ser interpretadas como tendo por fim sua eleição. A única informação com respeito aos candidatos que pode ser enviada aos clubes é aquela que for distribuída pelo Secretário Geral do RI.

Um rotariano que se torna candidato para um cargo eletivo, como, por exemplo, o de governador de distrito ou de diretor do RI, deve evitar toda e qualquer ação que possa vir a ser interpretada como lhe dando uma vantagem injusta em relação aos demais candidatos. A desobediência a estas normas de proibição de realização de campanha política pode resultar na desqualificação do candidato.

O Rotary acredita que o histórico de serviços prestados pelo candidato e suas qualificações pessoais para ocupar qualquer cargo bastam por si só, não sendo, portanto, necessária qualquer publicidade ou promoção especial.

 

 

 

 

 

O INÍCIO DA FUNDAÇÃO ROTÁRIA

 

Alguns projetos excepcionais começaram como sementes bem pequenas. A Fundação Rotária, por exemplo, começou de uma maneira bem modesta.

Em 1917, o Presidente do RI, Arch Klumph anunciou aos participantes da Convenção de Atlanta que “seria permitido que se aceitasse doaçõesque tivessem por finalidade fomentar o bem no mundo”. A resposta dos presente foi educada e favorável; mas as doações demoraram a aparecer. Um ano depois, o “Fundo de Dotações do Rotary”, como inicialmente chamado, recebeu, do Rotary Club da Cidade de Kansas, sua primeira contribuição, no valor de US$26,50, quantia esta que representava o saldo então existente na conta aberta em nome da Convenção da Cidade de Kansas, ao fim do encontro anual de 1918. Pequenas quantias foram sendo contribuídas a cada ano, mas, ao final de seis anos, verificou‑se que o fundo só contava com US$700. Dez anos depois, na Convenção de 1928, de Mineápolis, à Fundação Rotária foi oficialmente constituída. Nos quatro anos seguintes a Fundação já tinha arrecadado um total de US$50.000. Em 1937, estabeleceu‑se uma meta de doações de US$2 milhões para a Fundação Rotária, porém este plano foi abandonado com o início da Segunda Guerra Mundial.

Em 1947, com a morte de Paul Harris, iniciou‑se uma nova era para a Fundação Rotária, uma vez que foram feitas inúmeras doações em honra à memória do fundador do Rotary. Desde então, a Fundação Rotária tem alcançado seu nobre objetivo de fomentar “a compreensão e as relações amigáveis entre os povos de diferentes nações”. Ao fim do ano de 1954, a Fundação Rotária tinha, pela primeira vez em sua história, recebido doações totalizando mais de US$500.000, e, em 1965, um milhão de dólares tinha sido doado.

É incrível imaginar que, com um começo tão modesto, a Fundação Rotária recebe, a cada ano, mais de US$45 milhões de dólares para a implementação em todo o mundo de seus programas educacionais e humanitários.

 

 

O FUNDO PERMANENTE DA FUNDAÇÃO ROTÁRIA

 

FoiArch Klumph, pai da Fundação Rotária, quem disse: “Deveríamos olhar a Fundação não como algo presente, mas sim pensar em termos de anos e gerações futuras”. Este é o motivo pelo qual o Fundo Permanente é considerado o meio mais importante para assegurar o futuro dos programas humanitários e educacionais da Fundação. Contribuições a esse fundo,

antigamente denominado Fundo de Dotações para a Paz e Compreensão Mundial, são investimentos no futuro. Apenas os rendimentos do principal são utilizados para patrocinar programas da Fundação. O objetivo é que o Fundo Permanente venha a fornecer um suplemento seguro e regular para apoiar a Fundação, sempre garantindo um nível mínimo de atividades de programas e possibilitando a expansão e criação de novas atividades no futuro.

A Fundação outorga reconhecimento especial a todos que incluírem uma doação substancial ao Fundo Permanente em seu testamento ou doarem uma quantia mínima de US$1.000. Tais doadores são denominados Benfeitores da Fundação Rotária. Em 1995, havia mais de 18.000 Benfeitores no mundo inteiro.

 

 

BOLSAS EDUCACIONAIS DA BOA VONTADE

 

Bolsas Educacionais da Boa Vontade da Fundação Rotária é o maior programa particular de bolsas educacionais internacionais do mundo. Em 1947,18 estudantes de 11 países foram selecionados para servir como embaixadores da boa vontade do Rotary durante seu ano de estudos no exterior. Desde então, cerca de US$242 milhões foram utilizados para oferecer 25.000 bolsas educacionais a estudantes provenientes de mais de 125 países, estudando em 105 países.

O propósito do programa de bolsas educacionais é promover a compreensão internacional e as relações amistosas entre os povos. Os bolsistas da Fundação Rotária devem atuar como embaixadores da boa vontade no país anfitrião, através de eventos formais e informais, com grupos rotários e não rotários.

A partir do ano de 1994‑95, a Fundação Rotária oferece dois novos tipos de bolsas, além da Bolsa Educacional para Um Ano Letivo, oferecida desde 1947: a Bolsa Educacional para Mais de Um Ano Letivo, para dois ou três anos de estudos no exterior com vistas a um diploma acadêmico, e a Bolsa Cultural, para estudo intensivo de idioma e imersão cultural em um país estrangeiro.

Os rotarianos sabem que as Bolsas Educacionais da Fundação Rotária são um excelente investimento e um importante passo para alcançar maior compreensão e boa vontade no mundo.

 

 

INTERCÂMBIO DE GRUPOS DE ESTUDOS

 

Um dos mais populares e compensadores programas da Fundação Rotária é o de Intercâmbio de Grupos de Estudos. Desde a data do primeiro intercâmbio, realizado, em 1965, entre os distritos da Califórnia e do Japão, o programa já possibilitou que cerca de 25.000 profissionais de ambos os sexos adquirissem experiência prática, através da participação em cerca de 5.500 equipes. O programa de IGE possibilita o emparceiramento dos distritos rotários, que enviam e recebem equipes de estudos. Desde 1965, mais de US$42 milhões foram alocados pela Fundação Rotária para o financiamento dos IGE.

Uma das mais atraentes características dos IGE é a oportunidade que os participantes têm de se encontrar, conversar e morar com os rotarianos e suas famílias em um espírito de companheirismo e de hospitalidade. Embora as primeiras equipes de IGE fossem constituídas exclusivamente de homens, nos últimos anos as equipes têm sido constituídas de pessoas de ambos os sexos.

Além de aprender a respeito da vida em um outro país, já que as equipes visitam fazendas, escolas, fábricas industriais, escritórios de profissionais liberais e agências governamentais, as equipes de ICE atuam como embaixadores da boa vontade. Os membros das equipes de ICE representam aos seus anfitriões rotarianos e aos outros membros da comunidade os seus países de origem. Inúmeros destes contatos pessoais frutificam em duradouras amizades.

Na verdade, o programa de Intercâmbio de Grupos de Estudos deu aos rotarianos um de seus mais agradáveis, práticos e significativos caminhos para o fomento da compreensão mundial.

 

 

SUBSÍDIOS “SAÚDE, FOME E HUMANIDADE”

 

Em 1978, o Rotary lançou o Programa “Saúde, Fome e Humanidade” (3‑H), seu mais abrangente projeto de prestação de serviços humanitários. O Programa 3‑H foi projetado para possibilitar a implementação de projetos de prestação de serviços de larga escala, que estivessem além da capacidade dos Rotary Clubs individuais ou mesmo de um grupo de clubes.

Em 1995, mais de 137 projetos 3‑H já foram aprovados e implementados em mais de 52 países, envolvendo uma quantia superior a US$37 milhões. O objetivo destes projetos é o de aliviar a fome, melhorar as condições de saúde, da qualidade de vida humana, assim como as culturais e sociais entre os povos de todo o mundo. O objetivo final é o de fomentar a compreensão, boa vontade e paz no mundo.

O primeiro projeto 3‑H implementado foi a imunização de 6 milhões de crianças filipinas contra a poliomielite. À medida em que os projetos 3‑H eram implementados em número cada vez maior, novos programas foram desenvolvidos visando ajudar aos habitantes das áreas em desenvolvimento em todo o mundo. Agora, além do gigantesco esforço de imunização de mais de 100 milhões de crianças em vários países, o 3‑H vem promovendo programas nutricionais, orientação profissional, melhoria de sistemas de irrigação que visem aumentar a produção alimentícia, reabilitação das vítimas da poliomielite e muitas outras atividades para o benefício do maior número possível de pessoas nos países em desenvolvimento. Todos os projetos 3‑H são financiados através da contribuição voluntária de rotarianos à Fundação Rotária. No futuro, o Programa 3‑H pode bem vir a ser considerado a melhor atividade de prestação de serviços do Rotary, demonstrando como os rotarianos se preocupam com as carências do ser humano, onde quer que este esteja.

 

 

SUBSÍDIOS EQUIVALENTES

 

Entre os vários programas da Fundação Rotária, encontram‑se os Subsídios Equivalentes que visam ajudar aos Rotary Clubs e distritos na implementação de projetos internacionais de prestação de serviços. Desde 1965, mais de 3.700 subsídios foram outorgados para projetos localizados em 135 países, em um total superior a US$23 milhões.

Um clube ou distrito deve fazer uma contribuição pelo menos igual à que está sendo requisitada à Fundação Rotária, sendo que pelo menos metade dos fundos a serem equiparados pela Fundação deve ter sido contribuída por um país além daquele onde será implementado o projeto. Subsídios já foram outorgados para serem utilizados na melhoria de hospitais, para desenvolver programas escolares, perfurar poços artesianos, ajudar aos deficientes físicos ou às pessoas necessitadas de cuidados médicos especiais, fornecer recursos a orfanatos, implementar projetos de saneamento, distribuir alimentos e equipamentos médicos e muitas outras formas de prestação de serviços às comunidades internacionais carentes. Alguns subsídios são outorgados a projetos que necessitam entre US$15.000 e US$50.000; porém, a maioria dos subsídios varia entre US$5.000 e US$10.000.

Os Subsídios Equivalentes não são concedidos para a aquisição de terras ou para a construção de prédios, e não podem ser utilizados naqueles programas já iniciados ou cujos objetivos já tenham sido alcançados. É necessária a participação pessoal dos rotarianos e o benefício advindo com o mesmo deve se estender a toda a comunidade, e não apenas aos recipientes dos benefícios.

O programa Subsídios Equivalentes é uma parte significativa das funções da Fundação Rotária e fornece um importante incentivo para que os clubes implementem projetos internacionais úteis de prestação de serviços em uma outra parte do mundo. Estes subsídios fomentam, sem a menor sombra de dúvida, a boa vontade e a compreensão, que são, afinal de contas, os objetivos da Fundação Rotária.

 

 

SUBSÍDIOS “DESCOBERTA” CARL P. MILLER

 

O falecido Carl P. Miller, presidente do Rotary International em 1963‑64, acreditava profundamente que o trabalho humanitário poderia ser conquistado através do comprometimento de todos os indivíduos. Com o programa de Emparceiramento de Clubes e Distritos, lançado durante seu mandato, Miller estimulou rotarianos a procurar oportunidades para servir em outros países através do contato interpessoal. O trabalho conjunto de clubes e distritos tornou‑se um componente essencial dos Serviços à Comunidade Mundial.

Carl, um bem‑sucedido editor de jornal, juntamente com sua esposa Ruth, fez uma generosa doação à Fundação Rotária para estabelecer os Subsídios “Descoberta” Carl P. Miller, os quais visam estimular colaboração internacional entre clubes e distritos fornecendo até US$3.000 para despesas de viagem referentes ao planejamento de um projeto de prestação de serviços internacionais. O subsídio não dá origem ao projeto, no entanto propicia e apóia o contato interpessoal necessário nos estágios preliminares, assegurando a sua implementação. Somente clubes e distritos ou grupos de clubes e distritos são elegíveis para receber Subsídios “Descoberta”, que são aprovados pela Fundação Rotária duas vezes por ano, em agosto e fevereiro.

 

 

PÓLIO PLUS

 

Pólio Plus consiste no maciço esforço sendo implementado pelo Rotary visando erradicar a poliomielite do mundo até o ano 2005. Este esfor

ço faz parte de uma campanha global para que se proteja, também, as crianças do mundo contra outras cinco doenças mortais. Esta proteção adicional contra outras doenças é o real significado do “Plus” na denominação do programa Pólio Plus. Em inglês “plus” significa “também” ou “a mais”. O programa foi iniciado no ano de 1985, e sua preocupação inicial era a arrecadação de fundos. A meta original era a de se arrecadar US$120 milhões. Em 1988, os rotarianos de todo o mundo já tinham arrecadado mais de US$219 milhões em contribuições e promessas de doações. Em 1994, o total arrecadado acumulado excede US$246 milhões. Estas doações permitiram que a Fundação Rotária fosse capaz de financiar um suprimento de cinco anos de vacinas para todo e qualquer país em desenvolvimento que solicitasse a proteção às suas crianças. Conseqüentemente, mais de 100 países foram beneficiados com doações, acarretando um compromisso de nossa parte no montante de mais de US$181 milhões para a compra de vacinas e a melhora na qualidade das mesmas.

Em 1988, a Organização Mundial de Saúde adotou o objetivo de erradicar a pólio em todas as partes do mundo até o ano 2000; decisão esta ratificada pelo Rotary, esperando, assim, poder celebrar o 100° ano de sua fundação, no ano 2005, em um mundo livre da doença. O sucesso no trabalho de erradicação não será fácil (apenas uma outra doença, a catapora, já foi erradicada) ou barato (o custo estimado à comunidade é de quase US$2 bilhões). Será necessária a imunização contínua das crianças do mundo, e abrangerá, também, o relatório sistemático de todos aqueles casos suspeitos da doença, vacinação de comunidades inteiras visando conter a epidemia da doença e o estabelecimento de redes de laboratórios. O Rotary não estará sozinho nesta empreitada, mas agirá em parceria com governos federais, as Organizações Pan‑Americana e Mundial de Saúde, e a UNICEF, entre outras. O “poder humano” do Rotary desempenha um papel especial nesta missão. Rotarianos moradores de países em desenvolvimento dedicaram centenas de horas de trabalho e incontáveis doações em espécie na ajuda à erradicação da doença em seus países.

Nenhuma outra organização não‑governamental já assumiu um compromisso do vulto do programa Pólio Plus. Honestamente, nosso esforço deve ser reconhecido como sendo a maior prestação de serviços humanitários que o mundo tem notícias. Cada rotariano deve compartilhara vitória desta conquista.

 

 

ASSISTÊNCIA EM CASO DE DESATRE

 

Quando ocorrem tragédias naturais em algumas áreas do mundo, é possível que em questão de horas o programa do Rotary de Assistência em Casos de Desastre esteja atuando para aliviar o sofrimento das vítimas. Subsídios do Rotary de até US$5.000 podem ser autorizados pelo Presidente do RI para assistir vítimas de furacões, terremotos, enchentes, incêndios e outras calamidades.

Após colaborar com um subsídio inicial, a Secretaria divulga um pedido de ajuda que pode ser atendido por rotarianos do mundo inteiro através de doações monetárias ou em espécie, como equipamentos, alimentos, vestuário e itens de uso doméstico. Geralmente a ajuda dura por vários meses, à medida em que assistência adicional é enviada aos clubes e distritos apropriados nas áreas onde os desastres ocorreram.

O Fundo do Rotary para Assistência em Casos de Desastre foi estabelecido pelos Curadores da Fundação Rotária para fornecer subsídios de pequena monta para uso imediato com a finalidade de satisfazer necessidades urgentes.

O Fundo para Assistência em Casos de Desastre é um dos meios através do qual as doações à Fundação Rotária viabilizam a compreensão e a boa vontade no mundo inteiro.

 

 

PROGRAMAS PRÓ-PAZ

 

Um programa especial da Fundação Rotária foi, inicialmente, denominado de “Fórum Pró‑Paz do Rotary”. O conceito de um programa educativo que tem por fim a promoção da paz e da compreensão mundial foi projetado, inicialmente, em 1982, pela Comissão Novos Horizontes e pela Comissão pela Compreensão e Paz Mundial. Em 1984, foi estudado ainda mais pela Comissão de Novos Programas da Fundação Rotária.

Essencialmente, os Programas Pró‑Paz visam a utilização dos recursos não governamentais do Rotary em todo o mundo visando o desenvolvimento dos programas educacionais em torno de questões que causam conflitos entre diferentes nações. Visam, também, promover aquelas iniciativas e programas que fomentam a paz, o desenvolvimento e a boa vontade entre as nações do mundo. O programa inclui a edição de publicações, bem como a realização de seminários ou conferências como uma maneira de se iniciar um diálogo global visando encontrar novas iniciativas em direção à obtenção da paz e da compreensão mundial.

Os Programas Pró‑Paz do Rotary são selecionados a cada ano pelos Curadores da Fundação Rotária. Vários dos Programas Pró‑Paz são realizados concomitantemente com as conferências presidenciais.

 

 

COMPANHEIROS PAUL HARRIS

 

Sem a menor sombra de dúvida, a mais importante propaganda que poderia ter sido feita a favor das doações voluntárias aconteceu em 1957, quando foi proposta a idéia de se instituir o título de Companheiro Paul Harris. Embora o conceito de se doar à Fundação Rotária uma quantia equivalente a US$1.000 tenha demorado para se estabelecer, a iniciativa começou, a partir dos anos 70, a ganhar popularidade. A medalha de Companheiro Paul Harris, o distintivo de lapela e o belo certificado tornaram‑se, assim, símbolos de um substancial compromisso financeiro assumido pelos rotarianos e seus amigos em todo o mundo para com a Fundação Rotária.

Além do reconhecimento ao Companheiro Paul Harris temos, também, o título de Contribuinte Paul Harris, que é outorgado ao indivíduo que doou, ou em cujo nome foi feita uma doação no valor de US$100, ficando estabelecido, entretanto, que existe a obrigação explícita de fazer adicionais contribuições até que a quantia de US$1.000 seja alcançada, quando, então, o Contribuinte Paul Harris passará a ser chamado de Companheiro Paul Harris.

Até 1995, mais de 470.000 Companheiros Paul Harris e 160.000 Contribuintes Paul Harris foram adicionados à relação de doadores à Fundação Rotária.

Um distintivo de lapela especial é dado aos Companheiros Paul Harris que fazem doações adicionais de USS1.000 à Fundação. O distintivo dourado tem encravado uma pedra azul para cada US$1.000 doados, até um total de USS5.000, ou cinco pedras.

O reconhecimento Paul Harris fornece um importante incentivo para o contínuo apoio necessário para financiar a implementação dos vários programas da Fundação Rotária que são responsáveis pelo fomento da compreensão e da boa vontade no mundo.

 

 

“MENÇÃO POR SERVIÇOS MERITÓRIOS”

E “PRÊMIO POR SERVIÇOS EMINENTES”

 

Ocasionalmente, os Curadores da Fundação Rotária outorgam àqueles rotarianos prestadores de excepcionais serviços à Fundação dois prêmios em reconhecimento aos mesmos. A “Menção por Serviços Meritórios” à Fundação Rotária reconhece e homenageia os dedicados serviços prestados por um rotariano em prol da promoção dos programas da Fundação Rotária, fomentando, conseqüentemente, a meta da Fundação de alcançar uma melhor compreensão e de uma relação mais amigável entre os povos do mundo.

O outro prêmio, o “Prêmio por Serviços Eminentes”, é concedido a um rotariano cuja longa folha de excepcionais serviços prestados à Fundação Rotária está calcada em bases mais amplas e se espalha além do território do distrito e continua por um substancial período de tempo. O “Prêmio por Serviços Eminentes” reconhece os esforços contínuos de um rotariano já anteriormente homenageado com a “Menção por Serviços Meritórios”, na promoção da compreensão internacional.

Ambos os prêmios são outorgados com base nos excepcionais serviços prestados e pela devoção à Fundação Rotária, e não com base nas contribuições financeiras feitas. Os Curadores não concedem mais do que 50 destes prêmios em um único ano e apenas um rotariano por distrito pode ser homenageado com a Menção por Serviços Meritórios a cada ano. O ganhador da Menção por Serviços Meritórios não é elegível, por um período de dois ou mais anos, para ser homenageado com o Prêmio por Serviços Eminentes.

Qualquer rotariano que venha a ser escolhido pelos Curadores da Fundação Rotária para receber estas homenagens deve sentir‑se bastante orgulhoso.

 

 

RELAÇÕES PÚBLICAS DO ROTARY

 

Historicamente, os rotarianos perpetuam o mito de que o Rotary não deve fazer publicidade, mas que, ao invés, devemos deixar nosso trabalho falar por si mesmo. Uma norma implementada em 1923 de que a “publicidade não deve ser o principal objetivo de um Rotary Club ao selecionar uma atividade” de prestação de serviços à comunidade foi freqüentemente interpretada como significando que os clubes deveriam evitar a publicidade e os esforços de relações públicas. Na realidade, a norma de 1923 deve ser interpretada da seguinte forma: “visando a expansão da influência do Rotary, a devida publicidade deve ser feita a respeito daqueles projetos bem implementados”.

Uma filosofia mais moderna do significado das relações públicas foi adotada no meio da década de 70, afirmando que “uma boa publicidade, relações públicas favoráveis e uma imagem positiva são metas desejáveis e essenciais a serem alcançadas pelo Rotary” se este quiser fomentar a compreensão, entendimento e apoio ao seu Objetivo e aos seus programas e para aumentar o escopo dos serviços prestados pelo Rotary à humanidade. A atividade de relação pública é essencial para o sucesso do Rotary.

Um projeto de prestação de serviços bem implementado é considerado uma das melhores publicidades que o Rotary pode ter. É essencial que os Rotary Clubs façam todo e qualquer esforço necessário para manter o público bem informado sobre seus projetos de prestação de serviços que tenham sido bem implementados.

 

 

USO DO EMBLEMA ROTÁRIO

 

Oemblema do Rotary International é registrado oficialmente com o Departamento de Marcas e Patentes dos Estados Unidos como uma marca registrada e de serviços. Este registro proíbe a sua reprodução de uma forma imprópria ou por pessoas não autorizadas. O emblema do Rotary não deve ser modificado ou alterado sob nenhuma circunstância.

Os rotarianos são incentivados a usar na lapela de seus paletós o distintivo contendo o emblema do Rotary. O emblema aparece, também, nos bolsos dos paletós, canetas, bonés e outros artigos de uso pessoal que são fabricados por empresas ou pessoas especialmente licenciadas pelo Conselho Diretor do RI. O emblema aparece, logicamente, nas flâmulas, distintivos, placas de ruas e no papel timbrado do Rotary como forma de identificação.

O emblema do Rotary não pode ser utilizado para fins comerciais. Seu uso não é permitido em campanhas políticas ou em conexão com qualquer outro nome ou emblema que não seja reconhecido pelo Rotary International. Os sócios dos Rotary Clubs não devem utilizar o emblema em seus papéis timbrados ou cartões de visitas ou em qualquer outro material que tenha por fim a promoção de seus negócios. Também não é aconselhável que os rotarianos exibam o emblema do Rotary nas portas ou janelas de seus estabelecimentos comerciais.

A utilização do emblema com orgulho e honra é dever de todo rotariano. As restrições aqui mencionadas têm por fim assegurar que o emblema não seja utilizado de maneira contrária às normas da organização e de que será sempre utilizado em prol da mesma.

 

 

AS DATAS ESPECIAIS DO ROTARY

 

No calendário rotário, vários meses especiais são designados para homenagear os principais programas do Rotary International.

  • Janeiro é o mês da Conscientização Rotária. É um mês dedicado à expansão do conhecimento do Rotary e de suas atividades tanto entre nosso quadro social como na comunidade em geral.
  • Fevereiro é o Mês da Compreensão Mundial. Este mês foi inicialmente escolhido devido ao fato de que nele se comemora, no dia 23, o aniversário de fundação do Rotary International. Durante o mês de fevereiro os Rotary Clubs são incentivados a apresentarem programas que tenham por objetivo a promoção da compreensão e da boa vontade mundial. Incentiva‑se, também, a implementação de projetos de Serviços à Comunidade Mundial em outras partes do mundo.
  • A Semana Mundial do Rotaract acontece na semana na qual o dia 13 de março cair. É quando todos os Rotary Clubs e distritos homenageiam o Rotaract através de atividades conjuntas com os Rotaract Clubs que patrocinam.
  • Abril, por sua vez, é o mês da Revista do Rotary. Durante todo o mês, os clubes organizam programas e atividades cujo objetivo seja a promoção da leitura e da utilização da revista oficial THE ROTARIAN e das revistas regionais oficiais da organização.
  • Agosto é o Mês de Expansão e de Desenvolvimento do Quadro Social, quando deveremos focalizar nossa atenção na necessidade contínua do Rotary de aumentar seu número de clubes e de sócios destes.
  • Setembro é o mês das Atividades Pró‑Juventude. Rotary Clubs de todo o mundo dão especial atenção aos vários programas financiados pelo Rotary em prol dos jovens e das crianças. Durante este mês inúmeros clubes dão atenção às atividades de Intercâmbio de jovens.
  • Outubro é o Mês dos Serviços Profissionais. Neste período, os clubes dão especial importância aos negócios e à carreira profissional de cada um de seus sócios. Atividades especiais promovem a Avenida dos Serviços Profissionais.
  • Novembro foi escolhido como o Mês da Fundação Rotária. Os clubes e distritos chamam a atenção para os programas da Fundação Rotária e, freqüentemente, conseguem apoio financeiro adicional para a mesma através da promoção das doações de Companheiros e Contribuintes Paul Harris.

Cada um destes meses especiais tem o objetivo de aumentar entre os rotarianos a conscientização sobre alguns de nossos excelentes programas de prestação de serviços que fazem parte do mundo rotário.

 

 

EXPANDINDO O ROTARY

 

A cada 14 horas, um novo Rotary Club é organizado em um dos 150 países onde o Rotary está presente. Este crescimento contínuo é de suma importância na expansão mundial dos programas e da influência do Rotary International. Novos Rotary Clubs podem ser constituídos em qualquer parte do mundo onde os princípios fundamentais do Rotary possam ser livremente observados e onde quer que seja razoavelmente esperado que um clube de sucesso possa vir a surgir e ser mantido.

Um clube deve ser organizado com o objetivo de prestar serviços a uma determinada “localidade”, ou um território claramente identificado onde haja negócios ou um número suficiente de profissionais de ilibada reputação que sejam proprietários de seus negócios ou ocupem cargos a nível de gerência. Um mínimo de 40 possíveis classificações é necessário para que se proponha a constituição de um novo clube, e dentre estas pelo menos 25 devem ter candidatos em potencial. Ocasionalmente um clube pode vir a ceder parte de seu território, ou compartilhar seu território com um novo clube.

No processo de constituição de um novo clube, o primeiro passo a ser tomado é a condução de uma pesquisa realizada na localidade visando determinar a possibilidade de se constituir um novo clube. O representante especial do Governador de Distrito conduz o processo de organização do novo clube. Entre os requerimentos a serem obedecidos quando da constituição de um novo clube, está a anuência do mesmo em adotar os Estatutos Prescritos para o Clube, um número mínimo de 25 sócios pertencentes a classificações bem definidas, o pagamento da taxa de constituição, a realização de reuniões semanais do clube provisório e a adoção da denominação social que o identificará claramente com sua localidade. Um clube provisório se torna um Rotary Club quando seu diploma de admissão é emitido pelo Conselho Diretor do Rotary International.

É uma grande oportunidade e um dever especial de todos os rotarianos a colaboração na implementação de novos clubes. O fato de que dois novos Rotary clubs serão constituídos hoje, amanhã e todo o dia em algum lugar do mundo fornece‑nos uma visão da vitalidade e extensão do tamanho dos serviços rotários em todo o planeta.

Anúncios

Caso deseje, escreva um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s